ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Com "aumento da demanda", Garras terá reforço de mais dois delegados

Chefe da DGPC, Marcelo Vargas diz que há aumento de trabalho decorrente da Operação Omertà, além dos inquéritos do Garras

Por Silvia Frias e Viviane Oliveira | 18/10/2019 08:56
Daniella Kades deixa a Deaij por prazo de 90 dias, segundo portaria (Foto/Arquivo: Alcides Neto)
Daniella Kades deixa a Deaij por prazo de 90 dias, segundo portaria (Foto/Arquivo: Alcides Neto)

Sob alegação de aumento da demanda, mais dois delegados foram designados para atuação no Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestros). O reforço é válido por prazo de 90 dias, segundo publicação hoje no Diário Oficial do Estado.

Na portaria publicada hoje, a delegada Daniella Kades de Oliveira Garcia deixa a Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento a Infância e Juventude) “para desempenhar suas funções” no Garras.

Também foi designado o delegado Tiago Macedo dos Santos, lotado na 4º DP (Delegacia de Polícia), sob o mesmo argumento. A determinação é válida partir da publicação até janeiro.

“Não sai ninguém, ao contrário, é reforço”, explicou o delegado-geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas Lopes, que assinou a portaria. Os delegados Fábio Peró e João Paulo Sartori permanecem no Garras.

Lopes disse que além da investigação da Operação Omertà, ainda em tramitação, o Garras ainda tem outras demandas. A força-tarefa formada para apuração das quatro execuções ocorridas em Campo Grande “permanece inalterada”, disse.

A reportagem entrou em contato com o delegado Fábio Peró, que preferiu não comentar o assunto e pediu que enviasse o questionamento à DGPC.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário