ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 23º

Cidades

Com menos de 2 meses de vacina, mortes de idosos com 90 anos caem em MS

Aplicação do imunizante começou há 49 dias, e março registrou apenas um óbito pelo coronavírus até o momento

Por Guilherme Correia | 10/03/2021 10:00
Idoso que mora em casa de repouso recebe vacina contra a covid-19 (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)
Idoso que mora em casa de repouso recebe vacina contra a covid-19 (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)

201 pessoas com 90 anos ou mais faleceram de covid-19 em Mato Grosso do Sul, desde o início da pandemia. Há 12 dias, contudo, houve apenas uma morte nessa faixa etária, e, comparando os mensalmente, março tem sido menos "letal" para esse grupo, passados menos de dois meses da primeira vacinação no Estado.

Em janeiro, foram 31 vítimas fatais com essa idade - média de uma pessoa por dia. Já em fevereiro, foram 16 óbitos registrados, reduzindo a média para aproximadamente 0,4.

Mesmo que seja apenas um recorte do mês, as mortes nessa faixa etária têm caído - ainda que, somando mortes em todas as faixas etárias, a doença ainda esteja matando em grande quantidade.

Imunologista e pesquisadora pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Inês Tozetti ressalta que ainda não se pode ter certeza sobre os dados devido a falta de informações precisas sobre o total de vacinados apenas nessa faixa etária, além do número de casos graves da doença.

Ainda assim, Tozetti diz que "essa observação pode ser um benefício da vacinação. Por isso, cada vez mais reforçamos a necessidade de vacinar".

A reportagem levantou o número de morte nos 9 primeiros dias de cada mês, como forma de fazer um recorte mais preciso. Ainda assim, todos os meses desde junho tiveram vítimas fatais, nesse período, e março segue como sendo o mês menos letal para o grupo.

"Temos apenas uma semana de março, faltam três. Ainda é cedo para afirmar. Mas caso queira fazer uma comparação um pouco mais 'afinada', poderia comparar as mortes nas primeiras semanas dos meses, assim, fica melhor", comentou o infectologista da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), Rivaldo Venâncio da Cunha.

(Mude o filtro do gráfico clicando na opção logo abaixo)

A campanha de vacinação teve início em 19 de janeiro, e, seguindo orientações do governo federal, prioriza idosos, indígenas e profissionais de saúde, inicialmente. Inclusive, houve apenas um óbito por covid-19 de um paciente indígena, em 26 de janeiro, enquanto 2020 registrou 107 vítimas dessa etnia, ao todo.

Mato Grosso do Sul aplicou 136,5 mil vacinas, referente à primeira dose, sendo que 66,1 mil desses também receberam o reforço da segunda dose, garantindo maior eficácia. A única estratificação disponível indica que 11,9 mil idosos acima de 80 anos receberam as duas doses. Estão inclusas nessa contagem tanto a Coronavac, quanto a Astrazeneca.

Quando pensamos na Coronavac, cuja a segunda dose foi aplicada com 14 dias, aqueles idosos que receberam a segunda dose na primeira quinzena de fevereiro podem estar protegidos contra a forma grave da covid", explica a imunologista Inês Tozetti.

Ainda assim, é importante ressaltar que, o Estado continua tendo mortes por covid-19 nas demais faixas etárias. No último boletim, por exemplo, foram inseridos 22 registros de mortos pela virose nos municípios sul-mato-grossenses. As idades variavam entre 40 e 84 anos.

"A vacina não impede a infecção pelo coronavirus e sim as formas moderadas e grave da doença, por isso embora tenha diminuído o número de óbitos, em nossa cidade o número de casos de infecção está elevado. Devemos portanto, continuar, mesmo vacinados utilizando a máscara, e higienizando as mãos", ressalta a pesquisadora.

Mato Grosso do Sul, ao todo, registrou mais de 189 mil casos confirmados e quase 3,5 mil mortes em decorrência da covid-19, ao longo dos aproximadamente 12 meses de pandemia.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário