ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 29º

Cidades

Comboio que saiu de MS escondia 5,6 t de maconha sob vasilhames de água

Três douradenses foram presos com a droga e duas pistolas calibre 9mm

Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 17/06/2021 20:27


Comboio de caminhões que saiu de Mato Grosso do Sul levando 5,6 toneladas de maconha foi apreendido nesta quinta-feira (17), em Brotas, São Paulo. As centenas de tabletes das drogas estavam escondidos sob vasilhames vazios de água mineral. Três traficantes douradenses foram presos durante a abordagem.

O trajeto que seria percorrido pelos criminosos foi descoberto em operação conjunta da PF (Polícia Federal) e PRF (Polícia Rodoviária Federal) de Dourados. Com base nas investigações, diversas barreiras foram montadas pela PRF paulistana ao longo do caminho até o comboio ser flagrado, por volta das 11h de hoje.

O primeiro caminhão abordado tinha placas de Dourados e estava sendo conduzido pelo douradense Jean Carlos Ortega Barbosa, que morava no Bairro Parque das Nações, na cidade. Ele era o batedor de um outro caminhão Mercedes Bens onde estava a droga e que tinha placas de Três Lagoas. O veículo estava sendo conduzido por Evandro Silva Martelo, de 32 anos, que residia no Bairro BNH 2 Plano, em Dourados.

Ao revistar a carga de vasilhames os policiais encontraram exatas 5 toneladas e 620 quilos de maconha, além de duas pistolas 9 mm e 2,5 quilos de skunk. Na sequência, um outro batedor também foi abordado. Raikes Onose da Cunha, de 39 anos, morava no Campo Dourado, em Dourados e conduzia um caminhão Ford Cargo com placas de Dourados.

Os três presos foram presos e encaminhados para a PF (Polícia Federal) em Piracicaba, São Paulo, onde foram autuados por tráfico de drogas e associação ao tráfico. O destino final da droga não foi revelado. A força-tarefa que levou à prisão dos criminosos, mobilizou policiais da Polícia Rodoviária Federal das cidades de Dourados, Marília, São José do Rio Preto e Polícia Federal.


Nos siga no Google Notícias