ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUARTA  23    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Departamento cuidará de laboratório contra lavagem de dinheiro em MS

Segundo delegada, Dracco seguirá linha de trabalho adotada desde 2015, mas agora com maior estrutura

Por Ana Paula Chuva | 14/08/2020 15:48
Delegada Ana Cláudia Medina foi designada como titular do departamento. (Foto: Henrique Kawaminami)
Delegada Ana Cláudia Medina foi designada como titular do departamento. (Foto: Henrique Kawaminami)

Criado na semana passada pelo Governo do Estado, o Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado) vai centralizar os casos de corrupção e lavagem de dinheiro em Mato Grosso do Sul, além de ficar responsável pelo laboratório de tecnologia contra lavagem de dinheiro e pela Seção de Operações Aéreas da Polícia Civil.

O Departamento tem como titular a delegada Ana Cláudia Medina e conta com duas delegacias a de Combate ao Crime Organizado e a de Combate à Corrupção.  A Seção de Operações Aéreas será responsável pela gestão e operação das atividades áreas de segurança pública no âmbito da instituição.

Conforme explicou Ana Cláudia ao Campo Grande News, o departamento continuará seguindo a linha de trabalho adotada pela Polícia Civil desde 2015, mas agora com estrutura adequada. “Já temos operações contra corrupção desde 2015, mas vamos ampliar a atuação contra o PCC (Primeiro Comando da Capital) e demais organizações criminosas que continuam sendo o nosso foco”, disse.

Medina ainda destaca que o foco do departamento será uma investigação mais profunda na dissimulação de bens que sejam resultado de enriquecimento ilícito.

“Vamos trabalhar com técnicas especializadas nessas apurações. Tanto é que trouxemos para a estrutura do Dracco assessorias especializadas e ferramentas avançadas para esse trabalho. Teremos apoio técnico especializado na questão cibernética com o laboratório de tecnologia contra lavagem de dinheiro”, destacou.

Omertà – Questionada sobre uma possível atuação do Dracco na Operação Omertà, Medina afirmou que a operação já tem sua força tarefa em conjunto com o Gaeco e seguirá assim, pois já estão em um estágio avançado nas investigações.

Caso haja necessidade, o Dracco estará à disposição para auxílios necessários. “Nosso foco é uma investigação cada vez mais aprofundada que possa nos trazer uma repressão eficaz e especializada aos crimes de corrupção e institucionalizados, além da neutralização das organizações criminosas faccionadas ou não”, concluiu.