ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, DOMINGO  19    CAMPO GRANDE 17º

Cidades

DNIT confirma investir 28 milhões em manutenção da BR-262 após as chuvas

Por dia, mais de 400 carretas de minério cortam o Pantanal de Mato Grosso do Sul para escoar produção

Gabriela Couto | 15/04/2023 08:08
Trecho da BR-262 mostra pavimento deteriorado e excesso de carretas e caminhões nos dois sentidos da pista. (Foto: Maristela Brunetto)
Trecho da BR-262 mostra pavimento deteriorado e excesso de carretas e caminhões nos dois sentidos da pista. (Foto: Maristela Brunetto)

A BR-262 se tornou a mais demandada do Estado com o fluxo de carretas que passam pelo trecho que sai de Corumbá, no Pantanal, até Três Lagoas, divisa com São Paulo. A estrada federal é o caminho de mais de 400 carretas que transportam minério de ferro até o estado paulista. O número só será reduzido com a conclusão da ferrovia Malha Oeste, que ainda não teve edital publicado.

Com essa carga toda, o desgaste do asfalto da rodovia é visível aos usuários, que reclamam da péssima qualidade da estrada. Próximo a Ribas do Rio Pardo, a 103 km de Campo Grande, intervenções na pista são realizadas pela empresa Suzano. As imagens feitas na última semana mostram que a produtora de eucalipto tem criado acesso para a fábrica.

Intervenção feita pela empresa Suzano, em Ribas do Rio Pardo, para dar acesso à fábrica. (Foto: Maristela Brunetto)
Intervenção feita pela empresa Suzano, em Ribas do Rio Pardo, para dar acesso à fábrica. (Foto: Maristela Brunetto)

Segundo o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), do Ministério da Infraestrutura, todo o trecho é coberto com contratos de manutenção, para dar maior conforto e segurança aos usuários.

“Nesses contratos deverão ser investidos recursos da ordem de R$ 28 milhões, para promover a recuperação funcional no segmento, com aplicação de microrrevestimento e reperfilagem com CBUQ. Os serviços devem iniciar assim que as chuvas cessarem”, assegurou.

O governo do Estado, por meio da Seilog (Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística), destacou que tem defendido a concessão da BR-262 nas últimas reuniões com o governo federal.

Péssima qualidade da malha rodoviária é um desafio enfrentado diariamente pelos usuários. (Foto: Maristela Brunetto)
Péssima qualidade da malha rodoviária é um desafio enfrentado diariamente pelos usuários. (Foto: Maristela Brunetto)

“Em ação conjunta com a bancada federal, o governador Eduardo Riedel, inclusive, cobrou um plano de investimentos para as principais estradas federais que passam por Mato Grosso do Sul: BR-262, BR-163 e BR-267. Essas tratativas resultaram na garantia de destinação de quase R$ 1 bilhão de recursos federais para investimentos na infraestrutura e logística do Estado, incluindo aí a Rota Bioceânica, neste ano de 2023”, afirmou a pasta.

No entanto, o repasse desses recursos e o plano de ação nas rodovias é de responsabilidade do Ministério dos Transportes. Cabe ressaltar que a ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestres) vem trabalhando para atender as demandas estaduais.

O processo para uma nova concessão da BR-163 já foi iniciado com as audiências públicas sobre o trecho norte da rodovia (Campo Grande a divisa de MS com MT) e novas audiências serão realizadas sobre o trecho sul (Campo Grande a divisa de MS com PR).

Nos siga no Google Notícias