ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  01    CAMPO GRANDE 26º

Cidades

Em 2 semanas, ocupação de leitos de UTI pediátricos cresceu 700% em MS

Até hoje, ao menos cinco crianças foram mortas vítimas da covid-19 em Mato Grosso do Sul

Por Guilherme Correia | 12/03/2021 14:55
Mãe higieniza as mãos com álcool em gel próximo a filha (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)
Mãe higieniza as mãos com álcool em gel próximo a filha (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

Boletim epidemiológico divulgado nesta semana indicava que havia oito leitos de terapia intensiva pediátricos ocupados em Mato Grosso do Sul, destinados a pacientes com covid-19. Comparando o mesmo índice no período de duas semanas, entre balanços divulgados em 25 de fevereiro e 11 de março, o crescimento foi de 700%.

Em coletiva realizada na manhã de sexta-feira (12), a secretária-adjunta em Saúde, Crhstinne Maymone, fez menção a casos mais graves de coronavírus em pacientes mais novos. "Se olhar os óbitos e o perfil, tem pessoas de 24 anos com 'nada relatado'. Há pessoas jovens se contaminando. Estamos repetindo aqui no Mato Grosso do Sul a mesma situação que outros estados têm com a doença atual", diz.

Maymone também ressalta os impactos da nova cepa do coronavírus, que tem levantado suspeita de atingir com maior eficácia pacientes mais jovens, distantes do "grupo de risco". "O Brasil transmite uma variante que contagia muito mais rápido. Se tem 50 pessoas contaminadas por dia em uma cidade pequena, você imagina a tragédia que pode se antever".

Independentemente da faixa etária, os óbitos no Estado têm apresentado crescimento. Na última semana, a média foi de 21 vítimas sul-mato-grossenses sendo levadas por dia. "A progressão geométrica da doença é assustadora", completa.

Vítimas mais novas - Em 4 de fevereiro, uma bebê de dois meses que sofria de problemas cardíacos e que contraiu covid faleceu em Campo Grande. Até agora, ela é a vítima mais nova inserida nos dados oficais da covid-19.

Antes dela, um menino, de 5 anos, faleceu em Ponta Porã em 25 de outubro do ano passado. No dia anterior a esse, uma menina, de 8 anos, também morreu em Sidrolândia.

Em 23 de novembro, foi a vez de uma garota, de 9 anos, em Naviraí.

Também na Capital, em 19 de outubro, foi a vez da primeira vítima abaixo de 18 anos falecer da virose. Ela, inclusive, é a única a ter causa do óbito registrada como SIM-P (Síndrome Multissistêmica Inflamatória Pediátrica).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário