ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  14    CAMPO GRANDE 21º

Cidades

Em MS, 12 instituições assinam nota repudiando ataques ao Judiciário

Com o STF sob ataque, principalmente depois da operação que investiga a propagação de fake news, grupo decidiu se manifestar

Por Anahi Zurutuza | 03/06/2020 12:56
Justiça, representada por estátua no Fórum de Campo Grande (Foto: Alcides Neto/Arquivo)
Justiça, representada por estátua no Fórum de Campo Grande (Foto: Alcides Neto/Arquivo)

Com o STF (Supremo Tribunal Federal) sob ataque, principalmente depois da operação deflagrada na semana passada contra pessoas investigadas por criar e compartilhar fake news, 12 instituições e entidades de Mato Grosso do Sul ligadas ao Direto emitiram nota repudiando “qualquer forma de insultos e ataques, sejam virtuais ou presenciais, perpetrados por quem não reconhece o império das leis”.

A nota diz que “todos os poderes devem funcionar de forma harmônica e equilibrada, responsabilizando-se cada qual pela manutenção das regras democráticas” e ressalta ser importante, portanto, que o Judiciário possa trabalhar de forma independente e imparcial, “sem quaisquer interferências e sobreposições”.

No texto, as entidades e instituições “reafirmam seu compromisso com a vida, com a liberdade de ir e vir, com a liberdade de pensamento e de expressão, verdadeiros avanços civilizatórios conquistados ao longo de mais de três décadas após a reabertura da democratização no país”.

Dizem ainda reconhecer “como imprescindível a política, nela contemplada toda e qualquer pluralidade de pensamento e ideologia partidária”. Porém, deixam claro, o protesto contra os ataques direcionados a membros do Judiciário.

A manifestação, divulgada nesta quarta-feira (3), é assinada pela OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil Seccional de Mato Grosso do Sul), TRT-24ª (Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região), MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), Procuradoria da República em Mato Grosso do Sul, Procuradoria-Geral do Estado, Defensoria Pública, MPT (Ministério Público do Trabalho), Adep-MS (Associação dos Defensores e Defensoras de MS), Ajufems (Associação dos Juízes Federais de MS), ASMMP (Associação Sul-mato-grossense do Ministério Público), Amatra (Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 24ª Região) e Aprems (Associação dos Procuradores do Estado de MS).