A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 20 de Agosto de 2019

27/03/2019 16:21

Escoltado, Giroto sai de presídio para audiência sobre enriquecimento ilícito

Durante audiência na tarde desta quarta-feira, juiz tentou impedir registro de fotos

Mayara Bueno
Advogado Gustavo Passareli, à direita, acompanha testemunha durante audiência no Fórum. (Foto: Paulo Francis).Advogado Gustavo Passareli, à direita, acompanha testemunha durante audiência no Fórum. (Foto: Paulo Francis).

O ex-deputado e ex-secretário de Obras de Mato Grosso do Sul, Edson Giroto, foi ouvido na 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, nesta quarta-feira (dia 27), em Campo Grande. Preso desde maio passado, ele responde a 58 processos e a audiência de hoje foi sobre denúncia de enriquecimento ilícito.

No processo, consta que a audiência estava marcada para 14 horas. Por volta das 14h50, Giroto deixou a sala no Fórum cercado por dois policiais. Momentos antes, uma assessora do juiz David de Oliveira Gomes Filho foi até a reportagem afirmando que fotografias não poderiam ser tiradas no local por determinação do juiz.

Em seguida, o ex-secretário saiu escoltado entre dois servidores, deixando o Fórum. Segundo uma funcionária, presos que vão às audiências saem pelo subsolo do prédio.

A ação alvo do interrogatório de hoje trata, de acordo com os autos do Ministério Público de MS, da compra, por parte de Giroto, de bens com valores incompatíveis à sua renda e que foram adquiridos para mascarar propinas recebidas durante o período que comandava a pasta de Obras.

Ele teria registrado evolução patrimonial incompatível com sua renda declarada, identificada por conta da movimentação em espécie na reforma de sua casa, no Residencial Dahma, bem como na compra de duas fazendas – a Maravilha e a Pouso Alegre, feitas ao lado de outros investigados.

Nestes casos, a evolução patrimonial sem justificativa para o Ministério Público teria sido na ordem de R$ 6,59 milhões – valor que foi bloqueado da conta do ex-secretário durante o andamento da denúncia. Edson Giroto está preso desde maio de 2018, no Centro de Triagem. 

 

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions