ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  22    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Investigação sobre verba do futebol envolve restaurante, barbearia e hotéis

Gaeco investiga "organização criminosa" que desviou, pelo menos R$ 6 milhões em recursos de convênios

Por Silvia Frias e Bruna Marques | 21/05/2024 09:44
Gaeco cumpre mandado na casa do presidente da FFMS, Francisco Cezario de Oliveira (Foto: Henrique Kawaminami)
Gaeco cumpre mandado na casa do presidente da FFMS, Francisco Cezario de Oliveira (Foto: Henrique Kawaminami)

Na Operação Cartão Vermelho, a lista de investigados do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) inclui dirigentes da FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul), hotéis e barbearias do interior do Estado. A investigação apura crime de lavagem que identificou, pelo menos, R$ 6 milhões em desvios.

Segundo a listagem a que o Campo Grande News teve acesso, além da sede da FFMS e da casa do presidente Francisco Cezario de Oliveira, no bairro Taveirópolis, constam os nomes de Jamiro Rodrigues de Oliveira, vice-presidente da FFMS; Marco Antônio Tavares, vice-presidente e coordenador de competições da federação, que também consta como presidente da Federação de Tênis de Mesa; Aparecido Alves pereira, delegado de jogos da FFMS; Rudson Bogarim Barbosa que, em publicação do site da entidade, em 2022, constava como gerente da TI da FFMS.

Na casa de Marco Antônio Tavares, no Bairro Lar do Trabalhador, o Gaeco apreendeu celular e um computador, conforme apurado pela reportagem.  O vice-presidente não foi preso e saiu de casa acompanhado da esposa.

Na lista, ainda consta o nome do funcionário público Marcelo Mitsuo Ezoe Pereira, além de Francisco Carlos Pereira, Umberto Alves Pereira, Valdir Alves Pereira, Francisca Rosa de Oliveira, Marco Antônio de Araújo e Patrícia Gomes Araújo.

A empresa de propriedade de Patrícia Gomes Araújo também é investigada na operação, um restaurante com sede em Dourados. A apuração também incluiria uma barbearia em Chapadão do Sul e três hotéis, localizados em Naviraí, Chapadão do Sul e Ivinhema. Porém, para estas cidades, não constam mandados a serem cumpridos pelo Gaeco.

Ainda conforme a lista, aparece o Sindarbitros (Sindicato dos Árbitros Profissionais de Mato Grosso do Sul). O advogado Augusto Domingos Borges Ortega, que representa a entidade, disse que não foi cumprido qualquer mandado no sindicato, tudo comprovado em notas fiscais . Segundo ele, a entidade somente repassa os valores exatos relacionados aos árbitros que atuam nos jogos da federação.

Francisco Cezario, "o dono da bola" na posse como presidente, em 2022 (Foto/Arquivo)
Francisco Cezario, "o dono da bola" na posse como presidente, em 2022 (Foto/Arquivo)

Desvio – Na Operação Cartão Vermelho, o Gaeco cumpre sete mandados de prisão e 14 de busca e apreensão em Campo Grande, Dourados e Três Lagoas.

Conforme nota divulgada pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), a FFMS foi investigada durante 20 meses pelo Gaeco, que identificou “uma organização criminosa, cujo principal objetivo era desviar valores”, dos convênios firmados com o Estado e com a CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Uma das formas de desvio era a realização de frequentes saques em espécie de contas bancárias da FFMS, em valores não superiores a R$ 5 mil, para não alertar os órgãos de controle.

Nessa modalidade, verificou-se que os integrantes da organização criminosa realizaram mais de 1,2 mil saques, que ultrapassaram o montante de R$ 3 milhões.

Ao todo, os valores desviados, no período de setembro de 2018 até fevereiro de 2023, da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul superaram a casa dos R$ 6 milhões.

Francisco Cezário de Oliveira, 77 anos, que comanda a federação, está no sétimo mandato e fica no cargo até 2027. A última eleição foi em 2022. Marcada por briga na Justiça, o desfecho foi vitória da chapa única, liderada por Cezário. (Colaborou Clara Farias)

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias