ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SÁBADO  19    CAMPO GRANDE 15º

Cidades

Leilão tem celulares, notebooks, máquina de tatuagem e até esqueleto à venda

Lances podem ser feitos até 26 de maio, exclusivamente de forma online

Por Guilherme Correia | 16/05/2021 16:19
Celulares de diferentes marcas são alguns dos vários produtos em leilão (Foto: Divulgação)
Celulares de diferentes marcas são alguns dos vários produtos em leilão (Foto: Divulgação)

Leilão feito pelo TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) traz mais de 50 bens apreendidos no Estado que podem ser arrematados pela população. Entre alguns dos produtos estão notebooks, celulares, máquinas de tatuar, máquinas de cortar grama, bicicletas, móveis, instrumentos musicais e até esqueleto para estudos.

Para verificar o que pode ser adquirido, bem como o valor e quantidade de lances, interessados podem clicar aqui.

Os lances foram abertos na semana passada e o certame, exclusivamente on-line, está previsto para se encerrar a partir de 26 de maio, na semana que vem.

Podem participar do leilão pessoas físicas e jurídicas e o arrematante deverá ir até o endereço da Rua Jaboatão, número 271, no Bairro Silvia Regina, em Campo Grande. Deverá ser feito agendamento prévio, por meio do telefone 3363-7000, em dias úteis no horário das 8h30 às 10h30 e das 14h às 16h.

Caso o pagamento do valor da arrematação e demais despesas no prazo não seja feito no prazo indicado em edital, o comprador estará sujeito a penalidades como multa, suspensão, declaração de inidoneidade ou perda do direito em adjudicar, além de responder por crime de frustrar ou fraudar o processo licitatório.

Leilão - Os leilões judiciais são vendas públicas de bens que ocorrem por determinação feita por juiz através de um processo. Quando ele leva o imóvel à leilão público, o dinheiro arrematado é usado para pagar dívida que o antigo proprietário possuía.

Já os extrajudiciais acontecem sem autorização judicial, podendo ser feita pelo próprio dono ou por terceiro pautado em lei especial que o autorize, para que possam reaver propriedades que estavam com pessoas inadimplentes que não pagaram prestações.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário