ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  18    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Na pandemia, emissão de RG só está disponível “a cada 15 dias”

Quem precisa do documento se irrita ao ter que monitorar site até encontrar um dia para agendamento

Por Izabela Sanchez | 30/07/2020 14:35
É essa mensagem que aparece ao tentar data disponível para emissão de RG nesta quinta (Foto: Kisie Ainoã)
É essa mensagem que aparece ao tentar data disponível para emissão de RG nesta quinta (Foto: Kisie Ainoã)

A redatora Ana Paula de Faria Ramos, 39, que vive em Campo Grande, tem perdido a paciência ao precisar emitir pela segunda vez o documento de RG (Registro Geral), a famosa “identidade”. Ela precisa do documento atualizado para procedimento no trabalho, mas não consegue agendar a emissão no site da Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública).

Entre os pontos oferecidos pela secretaria para agendamento à distância, única opção na pandemia, apenas um constava com data disponível nesta quinta-feira (30) em Campo Grande, conforme verificou a reportagem ao tentar o procedimento.

O funcionamento “de pandemia”, ainda assim, incomoda quem não tem escolha enquanto o serviço cumpre decreto estadual para reduzir aglomeração nos postos de atendimento, mas o universo das burocracias continua com as mesmas exigências de sempre.

Ana Paula comentou ter ligado na secretaria e ter ouvido que é necessário monitorar o site, porque novas datas ficam disponíveis “a cada 15 dias”. “A senhora tem que ficar cuidando”, teria ouvido ela, conforme relatou à reportagem.

“Isso significa então que não se está fazendo agendamento para tirar segunda via. Como as pessoas vão poder ficar sem fazer agendamento? Sempre foi falado em falta de material para o RG, mas isso causa muito preocupação porque a identidade é algo que a pessoa tem que carregar”, conta ela.

“Já está causando transtorno, eu preciso fazer averbação do meu nome no trabalho. E quem vai tirar passaporte?”, questiona.

Diretor do Instituto de Identificação de Mato Grosso do Sul, Marcio Paroba comentou que tem tentado, junto à equipe de tecnologia da informação, uma alteração no formato digital, para que as pessoas que tentarem data e não conseguirem, sejam informadas pela secretaria quando ocorrer disponibilidade.

Ainda assim, o diretor explicou que além de cumprir decreto e portaria para reduzir ao máximo a aglomeração, a falta de consciência das pessoas também prejudica. “A cada quinze dias a gente abre, por causa do período de pandemia, mas o correto é procurar só em casos emergenciais”, conta.

A média de atendimentos, segundo explica, diminuiu no início da pandemia, de 15 mil atendimentos ao mês em Mato Grosso do Sul, para 2 mil. No último mês, ainda assim, triplicou e já chega às 6 mil emissões de registros gerais.

“Em três dias que a gente abre já preenche, infelizmente quando a pessoa que precisa vai fazer perdeu a vaga para quem não precisava emergencial”, disse o diretor.

Por meio da assessoria de imprensa, a Sejusp disse que “devido a pandemia do Covid-19, o serviço segue com restrição”.

“O agendamento exclusivo no site da Sejusp abre a cada duas semanas para novos pedidos do RG. Objetivo é evitar que haja aglomerações nos Postos de Identificação, obedecendo portaria publicada no Diário Oficial do Estado. A recomendação é para que as pessoas acompanhem pelo site, a disponibilidade de vagas abertas no período”, declara.