ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 26º

Cidades

Projeção indica 118 mil infectados até fim de julho em MS

Pesquisadores da UFMS apontam que diante de aumento exponencial de casos nos últimos dias, nem pico é possível de se prever

Por Lucia Morel | 01/06/2020 17:42
Casos confirmados de covid-19 no Estado passará de 118 mil em 31 de julho. (Foto: Henrique Kawaminami)
Casos confirmados de covid-19 no Estado passará de 118 mil em 31 de julho. (Foto: Henrique Kawaminami)

Projeção de pesquisadores da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) indica 118.908 casos do novo coronavírus no Estado em 31 de julho. O agravante é a sobrecarga do sistema de saúde, que na mesma semana, tende a não suportar a demanda e ter mais pacientes hospitalizados do que leitos para interna-los.

Campo Grande, por sua vez, caso mantenha o ritmo controlado de confirmações, tende a ter o pico em 13 de julho, com 1.630 casos e sem sobrecarga do sistema de saúde.

Segundo os pesquisadores, diante do quadro de aumento expressivo em MS, não é possível saber quando se dará o pico de casos, que é, segundo estimativas, o mesmo momento em que as confirmações começam a cair.

Desde o primeiro caso confirmado de covid-19, em 14/3/20, até ontem, passaram-se 79 dias. Utilizando os dados coletados nesse período, os pesquisadores ajustaram dois modelos de crescimento considerando um intervalo de 140 dias: os 79 dias de casos registrados e 61 dias de projeção (próximos dois meses).

Isso porque com o aumento significativo das notificações no último mês, não foi possível ajustar aos dados observados um único modelo. Assim, para os dados até o dia 48, foi usado o modelo chamado Gompertz e o Exponencial, para os números a partir do dia 49.

Fonte: UFMS
Fonte: UFMS

“Este modelo apresenta uma taxa de crescimento mais alta do que o modelo Gompertz (curva mais inclinada) e neste momento não é possível estimar quando chegaremos ao pico das notificações”, explicam os professores do Instituto de Matemática, Erlandson Saraiva e da Escola de Administração e Negócios, Leandro Sauer.

Para eles, em 31 de julho, “estaremos em uma situação extremamente preocupante, indicando a necessidade de intervenções para conter a proliferação da covid-19”.

Para se ter uma ideia, o aumento no número de casos confirmados no Estado saltou 83% no número de casos confirmados da Covid-19 no último mês, passando de 255 em 30 de abril para 1.489 em 31 de maio. Os dados da UFMS indicam que 66% das confirmações ocorreram nos últimos 15 dias.

Leitos – Com base nos números atuais, as estimativas obtidas pelo modelo Exponencial mostram que no dia 10 de agosto, a quantidade de pessoas com o novo coronavírus que precisarão de atendimento em leitos clínicos, será de 1.106 pessoas. Mas há apenas 1.068 disponíveis no Estado.

Em relação aos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), são 299 unidades em MS, mas 300 pessoas precisarão desse cuidado em 3 de agosto.