ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEGUNDA  17    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Supermercados seguem funcionando após às 20h, mas só com 1 pessoa por família

Decreto com novas medidas de restrição foi publicado hoje em edição extra do Diário Oficial do Estado

Por Ana Paula Chuva e Miriam Machado | 10/03/2021 12:52
No começo da pandemia entrada era controlada em supermercados. (Foto: Henrique Kawaminami)
No começo da pandemia entrada era controlada em supermercados. (Foto: Henrique Kawaminami)

O decreto com novas medidas de restrição para prevenção a proliferação da covid-19 foi publicado em edição extra do Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (10), entre as novas restrições o documento proíbe a entrada de mais de uma pessoa da mesma família em supermercados, durante o toque de recolher.

Atualmente não há restrições para supermercados, porém são exigidos dentro dos estabelecimentos o uso de máscara e a disponibilização de álcool gel para higienização das mãos e carrinhos dos clientes.

Com o novo decreto, os supermercados podem funcionar durante o toque de recolher que, a partir do próximo domingo (14) passa a vigorar das 20h às 5h, porém devem restringir a entrada simultânea de pessoas da mesma família, exceto em casos de acompanhamento especial necessário.

Por ser considerado serviço essencial, nos finais de semana a abertura permanece normal, diferente das atividades não essenciais que podem abrir as portas das 5h às 16h tanto aos sábados como aos domingos.

Segundo o documento, os supermercados e estabelecimentos da mesma natureza, exceto lojas de conveniência, também devem proibir o consumo de bebidas e comidas no local. Nos locais a limitação total deve ser de no máximo 50% da capacidade com o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre os clientes.

Vale lembrar que o decreto foi publicado hoje, mas só começa a vigorar dia 14 de março e tem validade de 14 dias.

A medida é vista com bons olhos para a Amas (Associação Sul-Mato-Grossense de Supermercados. Segundo o presidente da instituição, Edmílson Jonas Verati a restrição já havia sido pedida a muito tempo pelo setor.

"Vemos que hoje as pessoas vão com as famílias, levam filhos, mãe, avós. Não é sadio. Nas lojas já pedimos e orientamos que vá somente uma pessoa por família. É uma medida simples que diminui muito a circulação de pessoas. ", disse Edmílson.

Sobre o controle da entrada, Edmílson destaca que os estabelecimentos não tem força de polícia, mas conta com fiscais que hoje já ficam nas entradas aferindo temperatura e aplicando álcool nas mãos dos clientes.

"Esses fiscais ficarão responsáveis por orientar as pessoas. Caso haja alguém forçando descumprimento acionarão vigilância sanitária e polícia, é o que eles podem fazer. Vemos a restrição com bons olhos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário