ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SÁBADO  22    CAMPO GRANDE 24º

Cidades

VSR causa mais mortes que covid entre bebês no Brasil, diz Fiocruz

Mato Grosso do Sul já registra 12 vítimas das síndromes respiratórias agudas graves com até 9 anos

Por Cassia Modena | 26/04/2024 17:09
Primeira vacina para bebês contra o VSR foi registrada este mês, mas ainda não está disponível no SUS (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Primeira vacina para bebês contra o VSR foi registrada este mês, mas ainda não está disponível no SUS (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

O boletim InfoGripe da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), divulgado nesta quinta-feira (25), destaca que o VSR (vírus sincicial respiratório), principal causa da bronquiolite, já é responsável por mais mortes entre bebês este ano que a covid-19.

É considerado o comparativo entre as síndromes respiratórias agudas graves que atingem crianças de até 2 anos de idade no Brasil. A Fiocruz não divulgou os dados verificados em cada Estado.

O boletim da SES (Secretaria Estadual de Saúde), publicado um dia antes, também não especifica quantas foram causadas pelo VSR ou outros agentes, mas soma 12 as mortes já causadas por síndromes respiratórias em geral entre crianças de até 9 anos em Mato Grosso do Sul.

Morreram quatro crianças menores de 1 ano e oito que tinham entre 1 e 9 anos, de acordo com o levantamento estadual relacionado a síndromes respiratórias agudas graves.

No Brasil, ainda segundo a Fiocruz, a covid-19 ainda é a maior causa de mortalidade por essas doenças em idosos.

VSR - Ainda não há uma vacina contra o vírus sincicial disponível no SUS (Sistema Único de Saúde).

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), porém, autorizou no início deste mês o registro do imunizante Abrysvo, da farmacêutica Pfizer, no Brasil. Ela protege bebês. Para chegar ao SUS, dependerá de avaliação de comissão do Sistema Único de Saúde.

Crescimento - A partir da análise de semanas epidemiológicas anteriores, a Fiocruz vê indício de aumento futuro nos casos Síndromes Respiratórias Agudas Graves em 23 estados.

Nesse cenário, Mato Grosso do Sul aparece junto ao Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Rondônia, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias