ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SÁBADO  02    CAMPO GRANDE 27º

Cidades

Acusados de matar garota de programa continuarão presos

Redação | 03/05/2010 19:18

A 2ª Turma Criminal do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), após sessão realizada nesta segunda-feira à tarde, negou liberdade aos jovens Leonardo Leite Cardoso, 27, e Fernando Pereira Verone, de 19 anos, acusados de matar a garota de programa Claudinéia Rodrigues, a "Néia", de 25 anos, em maio do ano passado, em Campo Grande.

O julgamento estava previsto para ser realizado em fevereiro deste ano, mas, como houve recurso dos três réus, o juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, decidiu suspender.

Os dois foram presos em junho, e um terceiro envolvido, Hugo Pereira da Silva, 19, já estava solto porque a Justiça considerou que ele não participou das agressões que levaram Claudinéia a morte.

Hugo diz que somente Leonardo deu pedradas em Claudinéia. Já Leonardo declarou que somente Fernando agrediu a garota de programa. Fernando disse que foi apenas Leonardo.

Laudo psicológico apontou que Leonardo tem transtorno bipolar e Fernando estaria com depressão.

O caso - Os garotos estavam no carro do pai de Fernando, um Palio Wekend, e pegaram Claudinéia e uma amiga no centro da Capital. Ao perceber a situação de perigo, a amiga pulou do carro em movimento.

Claudinéia ficou e foi levada pelos rapazes para um matagal atrás do Aeroporto Internacional de Campo Grande. Ela foi morta e deixada no local.

Os advogados que atuam como assistentes de acusação no caso, Otávio Trad e Lucas Navarro, queriam que Hugo, Fernando e Leonardo pagassem pensão aos três filhos deixados pela vítima.

Leonardo é defendido pela advogada Maria de Lourdes Silveira Terra; Hugo pelo advogado Ricardo Trad e Fernando por Walmir Debortoli.

Matéria editada às 10h

Nos siga no Google Notícias