A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 14 de Dezembro de 2018

29/04/2009 08:11

Administrativos do Judiciário param e pedem mudanças

Redação

Os servidores administrativos do Poder Judiciário estão parados na manhã desta quarta-feira, pedindo mudanças quanto aos salários e condições de trabalho. Ao longo do dia a paralisação pode prejudicar o andamento dos processos.

A paralisação de advertência começou tímida, com poucos servidores em frente ao Fórum de Campo Grande, mas a estimativa é de adesão de 80% entre as 54 comarcas de Mato Grosso do Sul.

A reivindicação da categoria é de reajuste salarial de 17%, auxilio alimentação e auxilio transporte. O presidente do Sindjus (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul), Noestor Jesus Ferreira Leite, explica que hoje o auxilio transporte só é dado em cidades que têm o sistema de transporte coletivo e a intenção é que todos recebam.

A intenção dos servidores é seguir nesta quarta-feira para o Tribunal de Justiça e depois para a Assembléia Legislativa. Leite defende aumento do percentual da receita estadual destinada ao Poder Judiciário, de 6,3%. Ele argumenta que de 2001 para 2008 houve aumento de 58% no número de servidores, de 136% no número de processos, além de aumento de comarcas, desembargadores, juizados e juízes.

Ademir de Campos Santos, que é operador judicial do Fórum e faz distribuição de processos, acrescentou à reivindicação de melhoria salarial a necessidade de regularização dos cargos. Ele citou seu caso, dizendo que acumula a função de escrevente judicial. O servidor conta que há dois anos ingressou na carreira por meio de concurso e ficou decepcionado. "Não era o que eu esperava. Não há reconhecimento e qualidade de trabalho", afirmou.

Alessandra Vasconcelos, lotada na 2ª Vara Civil, é escrevente judicial e disse que a vontade da categoria é que os salários voltem a "proporcionar o poder de compra de antigamente". Ela afirma que os vencimentos estão defasados em relação à economia. Ao mesmo tempo, destacou, o volume de processos no Fórum é muito grande e há pressão da sociedade e dos juízes para que haja celeridade, embora a estrutura não acompanhe a demanda. "Com essa estrutura e esse número de processo a gente não consegue cumprir com o prazo do processo", desabafou.

São esperados ônibus com servidores de cidades do interior, como Naviraí, Dourados, Ponta Porã, Caarapó, Ribas do Rio Pardo e Terenos. Os participantes da manifestação usam camisetas de cor preta com as palavras "PARE" e "Mobilize-se" escritas.

MEC vai propor nova estrutura para cursos de pedagogia
O Ministério da Educação (MEC) vai encaminhar ao Conselho Nacional de Educação (CNE), na próxima semana, uma proposta de modificação dos cursos de pe...
Motoristas envolvidos em contrabando terão habilitação cassada
O motorista que for condenado por dirigir veículo usado para receptação, descaminho ou contrabando de mercadorias terá sua carteira de habilitação ca...
STF decide que Ministério Público pode cobrar multas de ações penais
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (13) que o Ministério Público tem competência para ajuizar ações de cobrança de multas definidas em con...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions