A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

06/03/2009 17:52

Advogado de procurador repudia declaração da OAB/MS

Redação

O advogado criminalista Ricardo Trad, um dos mais respeitados de Campo Grande e com vasta experiência na área, repudia a OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul), que, através de declaração do presidente do órgão, o advogado Fábio Trad, repreendeu a polícia civil por ter prendido ontem o repórter Jefferson da Luz, do Campo Grande News.

Ricardo diz que não é papel da OAB/MS defender publicamente a imagem de presos. Segundo ele, a atitude de Fábio fere o direito de imagem de qualquer cidadão, porque quando a pessoa é presa, automaticamente já perde seu status social.

Ainda de acordo com Ricardo Trad, a exploração exagerada da imagem da pessoa não pode acontecer. Em muitos casos beira a humilhação, segundo o criminalista.

As críticas do advogado se referem ao fato de o jornalista Jefferson da Luz ter sido mantido preso por 3 horas no Garras (Grupo Armado de Repressão a Resgates e Sequestros), ao tentar fotografar o procurador Carlos Alberto Zeolla, assassino confesso do sobrinho Cláudio Zeolla, de 23 anos.

Ricardo é responsável pela defesa de Carlos Alberto, mas afirma que não é simplesmente pelo fato de ser um procurador que a crítica é feita. Ele diz que manifesta sua posição sobre qualquer pessoa presa, em qualquer situação, principalmente quando está na situação de suspeito.

O homicídio praticado pelo procurador é defendido como privilegiado pelo procurador, ou seja, quando a vítima é a culpada. Isso sob a alegação de que na noite anterior ao crime, a vítima teria discutido e empurrado o avô, pai de Carlos Alberto. Sob forte emoção, o autor teria matado o sobrinho.

O advogado criminalista considera degradante até mesmo a apresentação de presos que é feita nas delegacias. Para ele, a OAB não poderia criticar a polícia por ter mantido o jornalista preso.

Na verdade, Fábio Trad condenou a prisão de Jefferson pelo fato de ele ter sido algemado e colocado em uma cela juntamente com outro preso, onde permaneceu por 3 horas. Ele foi acusado de desacato, lesão corporal e resistência à prisão.

Mega-Sena acumula e prêmio no sábado pode chegar a R$ 39 milhões
A Mega-Sena mais uma vez ficou sem vencer na noite desta quarta-feira (13) e, assim, acumulou. O prêmio pode subir para R$ 39 milhões no sorteio do p...
Chuva intensa de meteoros terá pico na madrugada de quinta-feira
A chuva de meteoros Geminídeos – uma das mais intensas e brilhantes do ano – vai ocorrer durante a noite de hoje (13) e a madrugada de amanhã (14) e ...
STF tem maioria a favor de delação negociada pela Polícia Federal
O Supremo Tribunal Federal (STF) formou hoje (13) maioria para manter a autorização legal para que a Polícia Federal (PF) possa negociar delações pre...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions