A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

14/03/2013 17:34

André admite proibir pesca em rios de baixo estoque, mas rejeita "moratória"

Zemil Rocha e Luciana Brazil
André diz que turistas podem continuar vindo pescar (Foto: Marcos Ermínio)André diz que turistas podem continuar vindo pescar (Foto: Marcos Ermínio)

O governador André Pucciinelli garantiu hoje, durante o lançamento do Plano Safra da Pesca e Aquicultura, que o Estado está vigilante e pronto para proibir a pesca em rios onde os estoques fiquem baixos. Não há, porém, segundo o governador, uma trajetória rumo à “moratória” no setor pesqueiro.

O monitoramento, conforme André, vai garantir a continuidade da utilização racional dos rios. “Por isso o governo continua pesquisando, ano a ano, o estoque da fauna aquática, para saber quanto nós temos de produção de alevinos”, afirmou esta manhã, acrescentando que a continuidade da pesca é possível na grande maioria dos rios de Mato Grosso do Sul.

Enfatizou que o Estado tem grandes pesquisadores nessa área, inclusive Emiko Rezende, que foi secretária de Meio Ambiente, no governo Pedro Pedrossian. “A Emiko diz que Mato Grosso do Sul, por ter 65% de área do Pantanal, é um berçário inesgotável, porque quando se dão as grandes cheias ocorre uma proliferação muito maior de peixes”, argumentou.

Onde há risco, de acordo com o governador, a pesca é barrada. “Foi proibida a pesca embarcada no rio Nioaque”, lembrou o governador. “E, conforme o estoque de peixes, podemos levar o pesque e solte para outros rios. Isso fará com que haja preservação”, emendou.

Na rota da proteção, o governador observou que o Estado promoveu a redução da cota de pesca para 10 quilos e um exemplar. “Já reduzimos bastante e a fiscalização de frigoríficos está mais intensa. Não temos mais o La Pesca, que depredava nossa fauna. Hoje a consciência é muito maior, havendo o lazer, o pesque e solte. Tem também o cultivo de peixes, em parcerias com governos, para utilização de tanques-redes ou outras modalidades para produzir”, declarou.

A luta pela preservação dos recursos pesqueiros, na opinião de Puccinelli, passa necessariamente por parcerias do Executivo com outras entidades e a conscientização do pescador. “Para esse sim a pesca deve ser sustentável, a fim de que tenhamos perenidade”, afirmou ele.

E fez uma promessa: “Aqui em Mato Grosso do Sul, enquanto formos governo, vamos ter peixe para os pecadores de fora que vierem aqui e deixarem os royalties da pesca“.

 

Câmara de Vereadores entrega meio milhão de reais em emendas parlamentares
A Câmara Municipal de Costa Rica, a 305 quilômetros de Campo Grande, realiza nesta segunda-feira (dia 11) três sessões, duas delas especiais. Às 14h ...
Município de Itaporã comemora 64 anos de emancipação neste domingo
Conhecido como Cidade do Peixe, Itaporã, distante 227 km de Campo Grande, comemora 64 anos de emancipação neste domingo (10). A prefeitura municipal ...


"...berço INESGOTÁVEL....", na natureza tudo é ESGOTÁVEL, se não tiver o devido manejo.
tenho dúvidas qto a INEXISTÊNCIA de pesca predatória ainda nos dias de hoje.
Qto a reprodução, não conheço nenhum projeto executado, em execução ou à ser executado neste sentido.
Penso que cada PESCADOR deveria depositar determinada quantidade de alevinos a cada quilo de peixe pescado, com o apoio das Universidades,Superintendência da Pesca, IBAMA, e da PMA.
 
jose mendes em 15/03/2013 07:09:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions