A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

10/02/2014 12:00

Após confusão, direção da Fetricon/MS é reeleita, oposição vai à justiça

Leonardo Rocha
Presidente da Fetricon diz que apesar do tumulto, eleição foi democrática (Foto: Marcos Ermínio)Presidente da Fetricon diz que apesar do tumulto, eleição foi democrática (Foto: Marcos Ermínio)

Após uma eleição que teve acusação de ameaça de sequestro, urna apreendida pela justiça e até reforço policial, a atual direção da Fetricon/MS (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Mato Grosso do Sul) conseguiu a reeleição, vencendo a oposição por 13 votos a 11.

A chapa de oposição, liderada por Alex Lima Albuquerque, irá entrar com uma ação na justiça contestando o resultado final, alegando que houve irregularidades na votação. Eles contestam justamente dois votos (diferença da disputa) alegando que um sindicato e os representantes não tinham registro sindical.

As urnas que haviam sido apreendidas por liminar da justiça, foram abertas hoje (10) às 10h no MPT (Ministério Público Estadual) sob os cuidados do procurador César Fortes.

“Apesar de uma eleição tumultuada, com troca de acusações, foi conduzida de forma democrática, a oposição terá que se conformar”, afirmou o presidente reeleito, Webergton Sudário da Silva, conhecido como “Corumbá”.

Segundo ele, as “confusões” aconteceram em função da disputa “política” entre a CUT (Central Única do Trabalhador), na qual a entidade está associada, e a Força Sindical, que estava apoiando o candidato da oposição.

“Não é apenas uma questão financeira, até porque a renda mensal é de R$ 30 mil, tem sindicatos que arrecadam muito mais que isto”.

O diretor da Força Sindical em Mato Grosso do Sul, Adauto Cândido de Almeida, reafirmou o apoio a chapa de oposição e espera que a justiça reverta o resultado eleitoral.

“A Comissão eleitoral cometeu atos irregulares, o Sindicato de Trabalhadores de Montagem não tem registro (sindical) e pode votar, além de representantes que não eram legítimos”, apontou ele.

Eleição – No dia do pleito eleitoral, na última sexta-feira (7), o juiz do trabalho Izidoro Oliveira Paniago concedeu liminar impedindo a abertura das urnas, enquanto não houvesse explicação sobre a lista de votantes.

Após a presidência da Federação se comprometer a validar os votos que estavam sendo contestados, o juiz suspendeu esta liminar e determinou que o processo (eleitoral) prosseguisse. As urnas foram abertas hoje (10), decretando a vitória da atual gestão.

Ameaça – Durante o processo eleitoral, a chapa de oposição fez uma denúncia no MPT contra o atual presidente, Webergton da Silva por “ameaça” aos membros do grupo, até sugerindo um possível sequestro.

O Corumbá se defendeu dizendo que se tratava de “desespero” político e ainda garantiu que vai entrar com uma ação na justiça por “danos morais” contra os integrantes da chapa de oposição.

A Fetricom/MS conta com 14 sindicatos filiados e tem um rendimento anual de R$ 360 mil. No dia da eleição, a Policia Militar teve que dar um apoio de segurança para evitar confusões e manter o pleito tranquilo.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions