A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

15/03/2013 23:59

Assembleia recebe discussão sobre a representatividade dos jovens

Gabriel Neris
Audiência foi realizada na tarde desta sexta-feira (Foto: Roberto Higa/Assembleia Legislativa)Audiência foi realizada na tarde desta sexta-feira (Foto: Roberto Higa/Assembleia Legislativa)

O plenário Júlio Maia, na Assembleia Legislativa, recebeu nesta sexta-feira (15) a terceira de uma série de audiências públicas, intitulada “Políticas Públicas para a Juventude – Avaliação e Desafios”, para avaliar o que precisa para que os jovens tenham mais representatividade.

A primeira audiência sobre o assunto aconteceu em 2005 e a segunda no ano seguinte. Os resultados foram levados à Brasília e apresentados para a elaboração do Plano nacional de Políticas Públicas para a Juventude.

Durante a discussão foram exaltadas conquistas como o Prouni (Programa Universidade para Todos), ProJovem (Programa Nacional de Inclusão de Jovens), Cidade Digital, entre outros.

Para Sérgio Anastácio Júnior, membro do CDDH (Centro de Defesa dos Direitos Humanos), as prefeituras ainda não se interessam em buscar os benefícios. “Os programas são muito eficientes. Contemplam diferentes segmentos e atendem as necessidades dos jovens, desde a educação, passando pela capacitação profissional e inclusão no mercado até o fomento do esporte e das artes”, avalia.

“Precisamos pensar nas necessidades reais da juventude do nosso Estado. Por exemplo, o Prouni é legal, mas para mim, que estou na zona rural, estudar como bolsista em uma universidade particular demandaria mais do que uma bolsa, afinal, onde me alojaria para dar continuidade aos estudos? O mesmo acontece com indígenas, quilombolas e tantos outros. O que precisamos é pensar políticas públicas, focando as necessidades reais dos jovens sul-mato-grossenses”, declarou Luana de Oliveira Silva, representante jovem do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra).

A subsecretária da mulher e promoção da cidadania do governo do Estado, Tai Loschi, revelou que a Coordenadoria Estadual da Juventude está em processo de implantação. “Com a coordenadoria poderemos aproximar os jovens da administração estadual. Dessa forma, eles poderão contribuir levando projetos e debatendo sobre as medidas mais inteligentes para o beneficio do grupo”.

Em Mato Grosso do Sul, 459.775 pessoas estão na faixa-etária entre 15 e 29 anos, o que corresponde a 18,7% da população, conforme o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions