ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, TERÇA  01    CAMPO GRANDE 23º

Cidades

Atos prometem "chacoalhar" Capital dia 7; PM monta esquema especial

Grito dos Excluídos acontece logo após desfile e dois protestos são convocados pelas redes sociais

Por Vinícius Squinelo e Bruno Chaves | 05/09/2013 20:51
Manifesto em junho reuniu milhares de pessoas (foto: arquivo)
Manifesto em junho reuniu milhares de pessoas (foto: arquivo)

Pelo menos três manifestações estão agendadas em Campo Grande para 7 de Setembro, data que comemora a Independência do Brasil. O centro da mobilização será, novamente, a Praça do Rádio Clube, que reuniu mais de 70 mil pessoas em um único dia em junho, mês que marcou a história dos movimentos populares brasileiros.

A Polícia Militar, inclusive, já montou aparato especial para acompanhar as manifestações deste sábado (7).

Organizado em todo o País através das redes sociais, e chamada de “A Maior Manifestação de Todo Planeta”, o objetivo dos protestos é levar 40 milhões de brasileiros às ruas. Em Campo Grande, o manifesto vai começar às 14h do sábado.

Também em Campo Grande deve ocorrer outra manifestação, batizado de “Ato Nacional – Vem Pra Rua Campo Grande”, organizado pelo Facebook. Este segundo protesto deve iniciar uma hora mais tarde, às 15h.

Na rede social, 461 internautas confirmaram participação no manifesto “Vem Pra Rua Campo Grande” até o fechamento desta matéria.

Ainda está programado para a data o "Grito dos Excluídos", com o lema: "Juventude que ousa lutar constrói o projeto popular". O manifesto acontece todo ano, é a 19 edição, e acontece sempre após o desfile da Independência na Rua 14 de Julho

O "Grito" é uma manifestação popular, que tem como objetivo denunciar o modelo político e econômico vigente no País. Diversos movimentos sociais de Campo Grande, convocados pela CUT (Central Única dos Trabalhadores), realizaram reunião hoje para discutir a organização do "Grito dos Excluídos). As mais de 20 entidades participantes vão formar comissões para realizar a manifestação.

A pauta do manifesto é ampla, mas entre os diversos pontos se destacam as posições contra a renda da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul), fim do foro privilegiado dos políticos, fim da verba indenizatória de parlamentares, cassação dos parlamentares acusados de compra de votos e outras irregularidades.

O manifesto também vai cobrar a imediata quebra de sigilo bancário da Assembleia Legislativa, e a apuração e punição dos envolvidos na Operação “Teto de Vidro”.

O Comando da Polícia Militar já se preparou para as manifestações do sábado. “Não posso dar detalhes ainda, mas já temos uma operação preparada para prevenir qualquer incidente”, confirmou o comandante da instituição, Coronel Carlos Alberto David dos Santos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário