A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018

16/08/2011 20:14

Bancada federal garante três escolas técnicas para Mato Grosso do Sul

Edmir Conceição

Segundo coordenador da Bancada Federal, Dourados, Naviraí e Jardim terão escolas técnicas no pacote anunciado pela presidente Dilma Rousseff nesta terça-feira

Fiems se antecipou a anúncio do programa de escolas técnicas em encontro na Fetems. (Foto: Divulgação/Fiems)Fiems se antecipou a anúncio do programa de escolas técnicas em encontro na Fetems. (Foto: Divulgação/Fiems)

A bancada federal de Mato Grosso do Sul assegurou três escolas técnicas no pacote anunciado nesta terça-feira pela presidente Dilma rousseff, segundo o coordenador da Bancada Federal, deputado Ge3raldo Resende (PMDB-MS), que participou da solenidade no Palácio do Planalto em que foram confirmadas a criação de 208 unidades de Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia em todo país. Segundo o deputado, desde 2006 os parlamentares do Estado buscavam a confirmação.

O anúncio da expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, que compreende a criação de mais 88 unidades em todo o país, representa uma vitória de grande importância, segundo o coordenador da bancada, “haja vista a necessidade urgente de formação de mão de obra qualificada para fazer frente às demandas que surgem com a diversificação do mercado mundial”.

Segundo Resende, a conquista das unidades para Dourados, Naviraí e Jardim é resultado de um esforço de toda a bancada do Estado, que ao longo dos últimos cinco anos vinha fazendo diversas interlocuções junto ao Ministério da Educação, mostrando a necessidade de instituições profissionalizantes na região da Grande Dourados.

Pronatec - Ontem a Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul) promoveu debate sobre o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) na sede da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande. O diretor-corporativo da Fiems, Jaime Verruck, entregou ao deputado federal Antônio Carlos Biffi, relator do projeto na Câmara Federal, proposta da CNI reivindicando autonomia para o Sistema S na criação de cursos técnicos, possibilitando uma maior oferta de vagas e de cursos profissionalizantes no País.

“O Sistema Fiems, em consonância com a CNI, entende que o Projeto de Lei nº 1.209/2011 precisa trazer, em sua essência, a necessidade dessa autonomia para Senai e Sesi com o objetivo de que possamos atingir a meta proposta pelo Governo Federal de dobrar o número de vagas nos cursos técnicos até 2014”, destacou Jaime Verruck, reforçando que o Pronatec contribuirá para resolver a falta de profissionais qualificados em Mato Grosso do Sul.

Ele completa que o Sesi e Senai estão entre os principais parceiros do Pronatec, sobretudo no desenvolvimento dos subprogramas Bolsa Formação Estudante, Bolsa Formação do Trabalhador, Bolsa Formação do Trabalhador – Modalidade Inclusão Produtiva, Fies Técnico – Estudante e Fies – Empresa, nos quais deve atuar na oferta de educação profissional de jovens e trabalhadores. “O Sistema S já enfrenta a falta de mão de obra qualificada ampliando as suas ações de formação profissional em todos os níveis com o desenvolvimento do processo de gratuidade oferecido pelo Senai”, disse.

Para o deputado federal Biffi, o Pranatec busca ampliar a capacidade do Sistema S e readequar sua infraestrutura e equipamentos, beneficiando, com isso, os estudantes do Ensino Médio da rede pública e privada do País. “Como relator do Projeto de Lei nº 1.209/2011, na Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal, espero que ele seja aprovado até setembro na Casa de Leis para que seja enviado ao Senado”, disse, elogiando a participação de diversos segmentos da sociedade sul-mato-grossense no debate sobre a criação do Pronatec.

Os deputados federais Marçal Filho, que integra a Frente Parlamentar de Apoio ao Ensino Técnico, e Fátima Bezerra, presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal, também defenderam a aprovação do Projeto de Lei nº 1.209/2011 até setembro. “O Brasil tem urgência”, pontuou Marçal Filho, enquanto Fátima Bezerra reforçou que espera encaminhar o Pronatec o mais breve possível ao Senado. “A educação profissionalizante foi relevada no passado e o Pronatec vem para corrigir isso”, garantiu.

(*) Com informações das assessorias do deputado federal Geraldo Resende e da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions