ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  20    CAMPO GRANDE 22º

Capital

"Conduta exemplar", afirma sindicato sobre guarda que matou dois

Valtenir Pereira da Silva é apontado como suspeito pela morte da ex-mulher, Maxelline Santos e do amigo Steferson Batista de Souza

Maressa Mendonça e Aline dos Santos | 01/03/2020 15:19
Guarda Valteir Pereira da Silva (Foto: Reprodução/Facebook)
Guarda Valteir Pereira da Silva (Foto: Reprodução/Facebook)

O guarda municipal Valtenir Pereira da Silva, que matou a ex-mulher Maxelline Santos e o amigo da família Steferson Batista de Souza na noite de sábado (29), era conhecido pela “conduta exemplar” como servidor público, segundo o sindicato da categoria. Ele não é localizado desde ontem quando, além de ter matado duas pessoas, também deixou ferida a namorada de Sterferson, a enfermeira Kamilla Telis.

De acordo com Hudson Bonfim, presidente Sindgm-CG (Sindicato dos Guardas Municipais de Campo Grande), Valtenir trabalha há 11 anos na Guarda Municipal e atualmente estava no setor operacional da base da região do Anhanduizinho. “A conduta dele enquanto servidor era exemplar. Ele passou tranquilo por todas as etapas”, declara Bonfim que, chegou a participar de cursos com ele.

O presidente do sindicato explicou ainda que, segundo determinação do comandante da Guarda, as viaturas estão fazendo rondas em busca do servidor. Ele será encaminhado para a delegacia assim que localizado.

No período da manhã, outros guardas tentaram fazer contato, mas, segundo Bonfim o celular de Pereira está desligado. Os familiares dele também não foram encontrados. “Estamos empenhados em encontrá-lo”.

O presidente do sindicato da categoria disse ainda que a corregedoria não tinha sido informada sobre a denúncia de violência doméstica. Do contrário, a arma usada pelo guarda teria sido recolhida imediatamente.

No último dia 26 de fevereiro foi publicado o resultado da avaliação da conduta ética e disciplinar dos integrantes da Guarda. Pereira teve 94 pontos, perdendo seis por advertência.

A vítima - Maxelline Santos, 28 anos, trabalhava em uma escola particular de Campo Grande. Ela era professora de alunos do berçário e da pré-escola. Uma colega conta que ela começou a dar aulas na instituição de ensino neste ano, mas logo conquistou a amizade e respeito. No local de trabalho, ela obteve orientação para procurar ajuda no mês passado, quando chegou desesperada e foi instruída a procurar ajuda na Casa da Mulher Brasileira.

Nos siga no Google Notícias