A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

24/03/2015 11:20

Reinaldo diz que não vai hesitar em sacrificar obras para investir em segurança

Flávia Lima e Leonardo Rocha
Reinaldo participa de formatura e ressalta investimentos na área de Segurança Pública. (Foto:Marcelo Calazans)Reinaldo participa de formatura e ressalta investimentos na área de Segurança Pública. (Foto:Marcelo Calazans)

Em solenidade de formatura de 156 policiais civis na manhã desta terça-feira (23), na Capital, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) voltou a frisar que a Segurança Pública é uma das questões principais de sua gestão. Ele disse que o objetivo é “levar um trabalho de qualidade à população” e para isso, ressaltou que, caso seja necessário, pode suspender obras para investir na estruturação da segurança.

Reinaldo revela que já autorizou a compra de coletes, equipamentos de segurança e recuperação de 264 viaturas. Na opinião do governador, as manifestações que Aconteceram no país no último dia 15, mostram que a população quer melhorias no serviço prestado pelo governo. “O mal do século nas instituições é a corrupção, por isso temos que trabalhar para oferecer um serviço digno”, disse.

Além dos policiais que se formaram hoje, a corporação ainda terá um aumento de 178 novos policiais civis que serão chamados para cursar a Academia de Polícia. Além disso, em maio está prevista a formação de mais 820 soldados da Polícia Militar.

O reforço não se restringe apenas a formação de novos policiais. O Corpo de Bombeiros também contará com mais 166 novos soldados que se formarão na próxima sexta-feira (27). O chefe-geral da Polícia Civil, Roberval Mauricio Cardoso destacou que o que move a corporação é justamente os investigadores e escrivães. “Eles estão na ponta do trabalho”, disse.

Roberval lembrou que para ter bons resultados, é preciso um trabalho integrado entre as polícias e que os profissionais busquem evoluir na carreira com cursos de aperfeiçoamento e dedicação. “Nessa academia não se ensina, se educa a ser policial. “Me entristece ver policial que está em uma missão e fica olhando para o relógio”, finalizou.

A formatura incluiu investigadores, escrivães, peritos criminai s e papiloscopistas, que passaram por um curso de 600 horas incluindo aulas teóricas e práticas. Os novos policiais tiveram aulas de Direito Penal, Técnicas de Interrogatório, Defesa Pessoal, Tiro e Inteligência Policial.

O orador da turma, Reginaldo Donizete Ferreira, ressaltou que além do senso de disciplina, hierarquia e comprometimento institucional, o grupo pode ter uma dimensão da importância do trabalho do policial ao participar de ações junto a comunidade, como o Natal Solidário.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions