ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 27º

Capital

"Achei que era lan house", diz vizinha de cassino na região central

Vizinhos não viam movimentação e nem desconfiavam; 20 máquinas caça-níqueis foram apreendidas

Dayene Paz e Mariely Barros | 17/03/2023 09:29
Prédio do antigo Shopping Pantanal, que virou cassino. (Foto: Henrique Kawaminami)
Prédio do antigo Shopping Pantanal, que virou cassino. (Foto: Henrique Kawaminami)

Sem ver movimento de clientes, os vizinhos do antigo Shopping Pantanal, no Centro de Campo Grande, não desconfiavam que o prédio estava sendo utilizado como cassino clandestino. O local foi fechado nesta quinta-feira (16), após batida da polícia, e no momento, duas pessoas jogavam. O dono seria um idoso de 70 anos, que não teve o nome divulgado.

Vendedora de 19 anos contou que acreditava se tratar de uma lan house. "Era muito escuro e tinha só luzes, azul e vermelha. A gente achou que era lan house e pensei há quanto tempo que não via uma. Até pensei em entrar, mas fiquei com medo", conta.

A costureira Sônia Maria Lopes, de 61 anos, tem um ateliê em frente ao antigo shopping e também nunca desconfiou. Ela conta que o local ficava com apenas uma fresta aberta. "Nem gente entrava aí, não tinha movimento".

Sônia acompanhou de longe a reforma do local. "Disse que iria abrir um comércio e até pensei que ia melhorar. Durante a reforma vi pessoas entrando com maleta aparentando serem eletricistas e pedreiros também. Vinham todo dia, eu achei que estavam trabalhando".

Sônia é dona de ateliê em frente ao prédio do antigo shopping. (Foto: Henrique Kawaminami)
Sônia é dona de ateliê em frente ao prédio do antigo shopping. (Foto: Henrique Kawaminami)

No sábado passado, a mulher viu um caminhão cheio de entulho saindo do local e alguns dias atrás, foi instalado um relógio de energia. "Quando começaram a falar que era um cassino, eu não acreditei, porque geralmente nesses lugares entra muita gente. Achei incrível como que fizeram tudo na surdina. Quando vi uns seis camburão e esse monte de máquina, fiquei surpresa, todo mundo ficou", comenta.

Um cabeleireiro, de 54 anos, conta que havia saído boatos de que seria aberto um cassino no local. "No dia que entrei, a atendente me explicou por cima que era R$ 10 e tinha direito a 40 chances. O dono do prédio já tinha comentado que seria um cassino". Segundo ele, a porta ficava aberta e as máquinas visíveis. "Mas não tinha movimento", fala o homem.

Uma auxiliar de limpeza, de 43 anos, também só ouviu boatos. "Bem no centro e ainda de dia. Eles até que foram espertos, porque colocaram horário comercial, das 8h às 18h".

Cassino - O local foi descoberto ontem após denúncia do Campo Grande News. A polícia foi acionada e encontrou duas funcionárias no local. Elas foram levadas à delegacia para prestar esclarecimentos e contaram que o cassino foi aberto há cerca de 20 dias.

Todo contato que elas faziam era direto com o advogado do local. O proprietário seria um idoso de 70 anos, que não teve o nome divulgado.

As funcionárias disseram imaginar que estava tudo regulamentado devido aos alvarás existentes. Inclusive, apresentaram uma pasta de documentação do local com os supostos alvarás e contatos de locação do imóvel.

No local foram apreendidas 20 máquinas caça-níqueis e R$ 918 em dinheiro.

Nos siga no Google Notícias