A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

31/08/2013 11:17

Acidentes são diários em rua de mão dupla que vira mão única na curva

Bruno Chaves
Carros enfrentam dificuldades para atravessarem curva estreita (Foto: Marcos Ermínio)Carros enfrentam dificuldades para atravessarem curva estreita (Foto: Marcos Ermínio)

Uma curva na Rua Felipe Camarão, próximo ao entroncamento com a Rua Araújo Lima, no Parque Dallas, em Campo Grande, é tão “apertada” que só uma caminhonete passa pelo local. Os acidentes na curva são constantes e os motivos apontados por motoristas e moradores são a largura da curva e a alta velocidade dos veículos, além de sinalização inadequada.

No local, de acordo com a aposentada e estudante de Direito Sônia Cristina Lima Pires, 51 anos, que mora ao lado da curva, as placas de trânsito foram derrubadas e roubadas. Para os motoristas, a única informação é a sinalização horizontal.

Quem trafega na Rua Felipe Camarão, sentido Avenida Três Barras/Avenida Interlagos, não percebe ou ignora uma seta pintada no asfalto que obriga o motorista a fazer conversão a direita, ou seja, sem a placa de “Sentido Proibido” todos os motoristas seguem a diante na curva, que, teoricamente, não é mão dupla.

“Não tem lógica. Uma quadra é de mão única e o restante é de mão dupla. Só confunde”, afirma o arquiteto Carlos Charbel, 29 anos, que mora na Rua Araújo Lima e passa pelo local todos os dias.

Ele ainda conta que o local é perigoso, já que “a pessoa entra com tudo e acaba pegando a contramão na curva apertada, que mal cabem dois carros”. Para Carlos, a solução seria a instalação de um semáforo ou transformar o local em mão única.

Sônia é umas das moradoras da região que mais enfrentam dificuldades com a situação. Ela conta que no início da manhã, quando precisa sair de casa, é preciso tirar o carro da garagem com a mão na buzina para fazer muito barulho.

“É o jeito. Preciso alertar que vem na rua. Meu medo é de um motociclista bater no meu carro e morrer. Eles passam voando por aqui e direto tem acidente Está muito perigoso e posso matar alguém”, se queixa.

Moradora mostra a curva e a dificuldade em atravessá-la (Foto: Marcos Ermínio)Moradora mostra a curva e a dificuldade em atravessá-la (Foto: Marcos Ermínio)
Para arquiteto, umas das soluções seria transformar a rua em mão única (Foto: Marcos Ermínio)Para arquiteto, umas das soluções seria transformar a rua em mão única (Foto: Marcos Ermínio)

A moradora ainda disse que nos horários de pico, início da manhã e início da noite, a situação se agrava. Em poucos minutos que a reportagem permaneceu no local era possível perceber a imprudência, velocidade e cara de espanto dos motoristas, de carros, motos e caminhões.

“Já pensei em até convidar o prefeito e a primeira dama para dormirem aqui em casa e perceberem que está perigoso”, comentou Sônia ao dizer que já procurou ajuda na Prefeitura de Campo Grande e na Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) para que uma solução para a curva apertada seja encontrada.

O empresário Ronan Bérgamo Teixeira, 32 anos, também mora na Rua Felipe Camarão, bem na curva perigosa. Ele disse que o local é palco para frequentes acidentes, principalmente envolvendo motociclistas.

“Duas vezes bateram na minha casa, mas eu não estava. Os motociclistas esquecem e quando da de frente com o carro ou caminhão, ele se joga na calçada. Meu portão está amassado por causa disso. Hoje mesmo aconteceu um acidente lá”, disse.

Ronan também afirmou que já procurou a Agetran e a Câmara de Vereadores para que a rua seja transformada em mão única, mas até agora as reivindicações não foram atendidas.

A reportagem procurou a assessoria de imprensa da prefeitura para conversa acerca da situação, mas as ligações não foram atendidas.



Qualquer leigo que não entende de engenharia percebe que o sobrado da esquina invadiu parte do local onde deveria passar a rua. Por que não fazem igual lá no Bairro Nossa Senhora Aparecida?. Vi outro dia na imprensa tratores derrubando casas humildes pois segundo informações a área foi invadida e o dono pede reintegração de posse.
E então senhores responsáveis pela vias urbanas de nossa cidade, vão lá neste local e deem uma olhadinha. Pergunto: " A lei é para todos ou para poucos"?
Fica a dica.
 
oracy gonçalves em 01/09/2013 10:02:02
No mundo todo existem ruas assim. A diferença é que em Campo Grande não existe motoristas, apenas um bando de folgados atrás de um volante.
 
Felipe Machado em 01/09/2013 09:28:00
A CULPA NESSE CASO É DO SISTEMA DE TRÂNSITO QUE JAMAIS PODE FAZER COM QUE UMA VIA DE MÃO DUPLA PASSE A SER MÃO UNICA NA CURVA,QUE OS MORADORES FAÇAM MANIFESTAÇÃO ATÉ MESMO FECHANDO A RUA PARA QUE VENHAM E FAÇAM UM ESTUDO, POIS DE ACIDENTES CAMPO GRANDE JÁ TEM LOCAIS DEMAIS, SEM PRECISAR DEMAIS ESSE LOCAL POR PURA INCOMPREENSÃO DA AGETRAN.
 
Luiz Carlos Santos Messias em 31/08/2013 19:27:39
O que dá mais raiva (e já aconteceu comigo) é que quando você vai aprovar um projeto de uma residência na Prefeitura, os analistas mandam corrigir 0,005m (meio centímetro) na medida de uma parede no desenho e lá vai seu processo mais um mês na fila da burrocracia deles (quero ver o fiscal puxar trena e medir esses 0,005m), agora quando tem interesse de empreiteira no meio, olha o que dá... Cadê o fiscal e o analista que permitiram que essa rua tivesse o projeto aprovado e executado?
 
Paulo Medeiros em 31/08/2013 17:16:40
Um dos vizinhos da esquina invadiu a área da via. É só passar no local que você percebe claramente aonde está o avanço do terreno...
 
Filipe Alberto em 31/08/2013 16:48:40
A Agetran está esperando o quê para transformar essa via em mão única ? Será que eles desconhecem a existência dessa rua ? Vão esperar que os proprietários dessas residências que vêm sofrendo danos por causa dessas irregularidades,( essas que a Agetran já deveria resolver há muito tempo), sofram um ataque cardíaco, que entrem em parafuso, que fiquem ali nas esquinas servindo de guardrails p/ protegerem seus patrimônios p/ não serem destruídos por condutores, motoqueiros principalmente, irresponsáveis, desatentos, até quando nós contribuintes vamos ter que aturar essas e mais outras e mais outras? Na hora de aplicarem multas, eles caem de para-quedas, surgem do nada, bandos de aproveitadores!!
 
waldomiro ajala em 31/08/2013 15:17:20
Porque não simplesmente estreitam a calçada em 50 cm para caber 2 veículos?
Tentar impor a lei ali é complicado, ali é transito que foge da Av. Tres Barras. E desde que a Av. Tres Barras recebeu um sinaleiro para deixar quem pega esta rota de fuga entrar só piorou, pois antes muito menos gente pegava este desvio sabendo que era muito difícil entrar na Tres Barras. Agora quase metade sentido centro usa este desvio, e na direção de Av. Interlagos estima que 2 em cada 3 usam...
Sendo rua residencial, nunca intencionado para vir via principal, aqui sim redutores de velocidade (um antes, um depois da curva) fazem muito sentido. E poderia se colocar uma espelha, como se vê também em Itália em ruas com curva apertada.
 
Marcos da Silva em 31/08/2013 12:35:55
O lay out da rua parece que está errado, nesse trecho há um ponto de afunilamento da via. Se a casa fosse recuada não teria problemas. Qualquer leigo vê que a rua vai fechando de maneira abrupta. Parece que o muro da residência avançou sobre a rua e fizeram o meio fio de acordo com ele.
Posso estar errado, mas a impressão que tive que a casa está errada.
 
kelly lucio em 31/08/2013 11:49:36
parece que a casa avançou na rua.
 
andré luiz em 31/08/2013 11:45:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions