A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 16 de Outubro de 2018

26/09/2018 12:42

Adiantadas em 15%, obras na região central terão pausa para fim do ano

Nesse período, para não atrapalhar as vendas, não haverá movimentação de máquinas pesadas

Ricardo Campos Jr.
Adiantadas em 15%, obras na região central terão pausa para fim do ano

As obras do Reviva Campo Grande estão 15% adiantadas em relação ao cronograma, segundo informações da Engepar Engenharia e Participação, responsável pelo serviço. A empresa pretende terminar as intervenções que necessitam de maquinário pesado até 30 de novembro, fazendo uma pausa para liberar as calçadas e o trânsito para o Natal e Ano Novo.

“Nós temos uma filosofia de que queremos empurrar, e não sermos empurrados. A obra está no terceiro mês de atividade e todas as instalações enterradas estão praticamente prontas”, diz o sócio proprietário da companhia, Carlos Clementino.

Essa celeridade deve refletir também na entrega. O contrato prevê a revitalização pronta até o começo de 2020, mas a construtora tem se organizado para terminar tudo antes do Natal do ano que vem.

Clementino reconhece que uma obra dessa magnitude traz alguns transtornos principalmente aos comerciantes, mas afirma que a empresa está tentando ajustar o cronograma em nome do bom senso, atendendo às exigências principalmente a respeito do trânsito, evitando fechar trechos longos da Rua 14 de Julho mesmo que isso acabe empurrando os trabalhos para a época de chuvas.

Imagem de como ficará o Centro de Campo Grande (Foto: reprodução)Imagem de como ficará o Centro de Campo Grande (Foto: reprodução)

Aspectos técnicos – Todas as instalações aterradas das redes de água, saneamento, telefonia e internet já foram finalizadas entre o cruzamento com a Avenida Fernando Corrêa da Costa e Rua 15 de Novembro e entre ruas Dom Aquino e Maracaju, onde já está pronto também o asfalto.

O diretor-presidente da Engepar afirma que as equipes atualmente estão trabalhando na terraplanagem e pavimentação das três quadras restantes.

As chuvas que atingiram a cidade nos últimos dias se transformaram em um grande desafio para os engenheiros, já que a atual fase das intervenções exige que o solo esteja seco e apesar da trégua nos temporais, a sombra dos prédios torna esse processo mais demorado.

Por isso é possível que as pessoas não vejam grandes movimentações de operários e máquinas no local. Nesses períodos, as equipes aproveitam para avançar em outros serviços menos visíveis.

Vista de como deverá ficar a região central durante a noite, após as obras de revitalização (Foto: reprodução)Vista de como deverá ficar a região central durante a noite, após as obras de revitalização (Foto: reprodução)

Como vai ficar – Depois que a fase de acabamento estiver pronta, a Rua 14 de Julho não terá mais os fios aparentes. O acesso às redes pelas empresas responsáveis será feito por meio de poços de visita em todas as esquinas.

As faixas de rolamento serão reduzidas a duas e ainda haverá vagas de estacionamento na região. O piso das calçadas e dos locais de estacionamento será todo em piso fulget, que são pequenas lajotas encaixadas sobre o contrapiso.

O escoamento da água das chuvas se dará por canaletas, bem diferentes das atuais bocas-de-lobo existentes.

Igreja vai pagar R$ 23 mil para fiel que doou carro após pregação de pastor
A Igreja Universal do Reino de Deus em Campo Grande foi condenada a ressarcir um fiel com R$ 23 mil equivalente ao valor de automóvel Gol 1.0, que el...
Trabalhador cai do telhado e morre ao bater com a cabeça em proteção
Um homem de 52 anos, que realizava a manutenção do telhado de uma casa no Jardim Jacy, na manhã desta terça-feira (16), morreu após cair de uma altur...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions