ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  25    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Adolescentes de 15 anos confessam que saíram para matar

Por Viviane Oliveira e Helton Verão | 11/12/2012 15:25
Os dois adolescentes de 15 anos na reconstituição do crime. (Rodrigo Pazinato)
Os dois adolescentes de 15 anos na reconstituição do crime. (Rodrigo Pazinato)

Os dois adolescentes de 15 anos apreendidos nesta tarde (11) mostraram com detalhes de como mataram o estudante Lawrence Corrêa Biancão, 20 anos, durante reconstituição do crime realizada na Orla Morena, em Campo Grande. De acordo com o delegado responsável pela investigação, Wellington de Oliveira, os dois saíram de casa com a intenção de matar a vítima.

Lawrence, que era acadêmico de publicidade e propaganda, foi encontrado estrangulado dentro do carro, um Fiesta prata, no início da tarde do último domingo, estacionado na Orla Morena, no bairro Cabreúva. Um dos adolescentes apreendidos é a pessoa que ligou para o estudante marcando um encontro e foi através dele que o crime foi desvendado.

Os adolescentes contaram que se encontraram por volta da meia-noite na Orla Morena, mesmo ponto que eles haviam se conhecido duas semanas antes do crime. Os dois entraram no veículo e deram voltas pela cidade.

Na reconstituição uma pessoa ficou no banco do motorista para representar a vítima, um dos adolescentes sentou no banco do carona e o outro no banco atrás da vítima. Por volta das 4h eles pararam no local do crime e, segundo delegado começaram a agredir Lawrence, que era homossexual.

Um dos adolescentes imobilizou a vítima com uma gravata, enquanto o que estava sentado ao lado dele desferia socos na região da barriga e peito da vítima até ele desmaiar.

Depois que Lawrence desmaiou o adolescente que estava no banco traseiro pegou o cinto de segurança, deu duas voltas no pescoço da vítima e puxou com força estrangulando o rapaz. O crime foi por volta das 4 da madrugada de domingo.

Os menores mostram com detalhes momento em que mataram o jovem. (Rodrigo Pazinato)
Os menores mostram com detalhes momento em que mataram o jovem. (Rodrigo Pazinato)

Para o delegado, a vítima morreu na hora. “Foi uma crueldade que esses dois adolescentes fizeram com o estudante”, destaca.

Segundo o delegado, os assassinos confessos disseram que tentaram tirar do carro o corpo do acadêmico, mas, desistiram porque acharam pesado e verificaram que ali não seria um bom local para deixar o cadáver.

Como não conseguiram roubar o veículo, eles pegaram o som do carro, carteira, celular e documentos. Em seguida eles fecharam o veículo e fugiram a pé para a casa de um deles, na rua João Rosa Pires, no bairro Amambaí.

De acordo com Wellington, em principio o crime é tratado como latrocínio, roubo seguido de morte, mas a Polícia não descarta que eles tenham roubado para dificultar as investigações.

Mesmo não sendo homossexuais, os três se masturbaram dentro do carro, e conforme o delegado, eles ficaram com nojo e acabaram executando a vítima. “Eles são homofóbicos e saíram com a intenção de matar”, finaliza o delegado.

Os dois serão encaminhados para a Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento a Infância e Juventude) e depois para uma das Uneis (Unidade Educacional de Internação) de Campo Grande. Os adolescentes não tinham passagens pela Polícia.