ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  14    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Afronta ao isolamento social tem até concurso "Miss Baby", reclama secretário

Meninas foram submetidas a competição de beleza, a despeito da orientação para evitar aglomeração

Por Marta Ferreira | 01/06/2020 12:01
Crianças vestidas com roupa de festa para disputa do "Miss Baby". (Foto: Reprodução das redes sociais)
Crianças vestidas com roupa de festa para disputa do "Miss Baby". (Foto: Reprodução das redes sociais)

Em tom de desabafo, o secretário de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Rezende, criticou nesta segunda-feira (1) o desrespeito à orientação para que as pessoas evitem aglomerações. A atitude dos que fazem festas e outros tipos de eventos com público, segundo ele, vai refletir, daqui duas semanas, no aumento de contágio pelo novo coronavírus.

“Até concurso de miss, eu fiquei sabendo que teve", contou Geraldo Rezende.

Imagens obtidas pela reportagem mostram meninas maquiadas, com vestido de festa, e faixas típicas usadas pelas misses. A informação levantada é de que o evento foi no sábado (28).  O nome do concurso, segundo dá para ver escrito, é “Miss Baby”.  Não foi possível identificar onde foi realizado.

“Não quero acreditar que está tendo festas, em vilas, bairros, chácaras”, desabafou o secretário.

As denúncias de festas têm sido enviadas frequentemente à reportagem e chegado àos ouvidos do secretário também, segundo contou.

O secretário comentou uma das que foram alvos de reportagem do Campo Grande News no fim de semana, feita em chácara no Jardim Colibri, durante dois dias seguidos, segundo relato de leitores. “Festas com 250 a 300 pessoas, que varam a noite toda”, comentou.

Disse também ter tido informação de concentrações com “crianças e adultos”, em afronta a tudo que vem sendo recomendado. “Facilita a vida do coronavírus”, entende.

“São espaços muito apropriados para a expansão exponencial que estamos vivenciando”, completou sobre o crescimento de casos de contágio pelo novo coronavírus.

Rezende disse que o esforço das autoridades está sendo “hercúleo” para controlar a chamada curva de ascenção da covid-19 e evitar colapso no sistema de saúde.

“Mas precisamos e fazemos o apelo à toda sociedade. Sem a sua participação, sem a participação da sua família, ao final dessa guerra, podemos ter muitos casos, muitas vítimas e é isso que queremos evitar”.

Ao falar de Campo Grande, a autoridade da área de saúde comentou que a situação no momento é “confortável”, com a mais baixa taxa de incidência entre as capitais. Apesar da situação ser considerada tranquila, em relação a outras cidades, Campo Grande já teve sete mortes por covid-19.

Rezende alerta, que se as pessoas continuarem achando que a situação está “normal”, e fazendo festas, isso pode piorar. “Certamente se continuar acontecendo, o crescimento poderá acontecer a qualquer hora”.