ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Alvos de operação, membros do PCC comandavam crimes de dentro da Máxima

Operação da PC do Acre, mirou nos criminosos que arrecadavam os valores pagos pelos integrantes do PCC

Por Adriano Fernandes | 16/09/2021 23:13
Um dos presos durante a operação. (Foto: Ac 24 Horas)
Um dos presos durante a operação. (Foto: Ac 24 Horas)

Três integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), que já estavam presos na Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande, foram alvos de mandados de prisão, nesta quinta-feira (16), no âmbito da "Operação Zaqueu".

Comandada pela Polícia Civil do Acre, por meio da Draco (Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas), a força-tarefa cumpriu um total de 26 mandados de busca e apreensão e 27 de prisão, tanto em MS quanto no próprio Acre e também em São Paulo.

Mesmo de dentro do presídio da Capital, o trio comandava algumas das operações criminosas do bando. Eles integravam um "braço" da facção que era responsável pela arrecadação dos valores pagos pelos integrantes do PCC. Os líderes do núcleo da organização foram presos na capital paulistana, onde a Polícia Civil cumpriu 5 mandados de busca e apreensão e 4 de prisões, conforme o portal Ac 24 Horas.

No estado do Acre, a Polícia cumpriu mandados nas cidades de Rio Branco, Senador Guiomard, Bujari, Sena Madureira, Manoel Urbano e Epitaciolândia. Dentre os presos, estava o responsável por representar a organização no Estado, bem como o gestor das armas de fogo da organização e outras lideranças de bairros.

No total, foram 23 pessoas presas ligadas a organização criminosa, destas, cinco delas foram autuadas pelo crime de porte ilegal de arma de fogo e trafico de drogas. Além das prisões efetuadas pela Policia Civil do Acre, também foi apreendido droga, arma, munição e vasto material para embalo do entorpecente, além de celulares e balanças de precisão.

A investigação durou cerca de um ano e contou com a participação de mais de cem policiais do Departamento de Inteligência do Ministério da Justiça e Segurança Pública, através do programa VIGIA, e das Policias Civis dos Estados de São Paulo e do Mato Grosso do Sul.

O nome da operação, “Zaqueu”, faz referência ao líder dos publicanos, pessoas que na antiguidade, possuíam a função de arrecadar impostos, para posteriormente repassar ao imperador.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário