A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

29/12/2014 19:47

Após 26 anos, Hemosul dobra capacidade de coleta de sangue

Daniel Machado e Alan Diógenes
Nova estrutura custou cerca de R$ 2,5 milhões aos cofres do governo (Foto: Alcides Neto)Nova estrutura custou cerca de R$ 2,5 milhões aos cofres do governo (Foto: Alcides Neto)

O Governo do Estado do Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria de Saúde, entregou no início da noite de hoje (29) a obra de ampliação do Hemosul (Centro de Hematologia e Hemoterapia de Mato Grosso do Sul), que custou cerca de R$ 2,5 milhões aos cofres do governo.

O prédio, localizado na avenida Fernando Corrêa da Costa, estava há um bom tempo sem reformas e agora terá o número de cadeiras para coleta de sangue ampliado de 6 para 16 unidades, além de novos equipamentos, iluminação mais adequada e infra-estrutura lógica e elétrica.

“Era uma reforma necessária pois já fazia 26 anos que o prédio não passava por reforma. Agora os doadores de sangue poderão usufruir de mais conforto, além de um espaço mais amplo e iluminado”, disse o secretário de saúde, Antônio Lastória, que juntamente com a coordenadora geral da Hemorrede MS, Eliana Dalla Nora, descerrou a placa inaugural do novo espaço.

“Essa obra contribuirá bastante para que possamos dar conta da alta demanda dos hospitais de todo o estado abastecidos pelo Hemosul, até porque é alto o número de acidentes de trânsito nessa época, principalmente de motocicletas”, acrescentou a coordenadora da Hemorrede estadual. “O atendimento que antes era de 40 minutos, em média, agora diminuirá para 15 a 30 minutos, no máximo. Isso significa uma capacidade de atendimento de 200 doadores por dia, quase o dobro da demanda atual, de 120”, diz.

A nova estrutura, no entanto, só começa a funcionar daqui a dois meses, por conta da transição e adaptação tecnológica dos novos equipamentos, além de ajustes no cabeamento estruturado e na parte lógica e elétrica da nova área. “O prédio será dividido em dois blocos: um de triagem e coleta de sangue e o outro o laboratório, o banco de sangue”, acrescentou Eliana.

Essa área, que é onde o sangue é processado e armazenado, levará ainda mais tempo para ficar pronto, cerca de três meses. 

Apesar de ter sua presença confirmada na inauguração do Hemosul, o governador André Puccinelli não compareceu à cerimônia, segundo a assessoria por estar em uma reunião sobre o Aquário do Pantanal.

Guarda oferece palestra sobre prevenção e combate às drogas em Uneis
Jovens da Unei (Unidades Educacional de Internação) Dom Bosco e da Unidade de Internação Feminina Estrela do Amanhã, em Campo Grande, receberam pales...
Cadastramento biométrico é oferecido pela Carreta da Justiça em Anhanduí
Desde o início desta semana a Carreta da Justiça está realizando atendimentos da biometria no distrito de Anhanduí, no município de Campo Grande, gra...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions