ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  21    CAMPO GRANDE 14º

Capital

Após 9 anos, Centro Municipal de Belas Artes será concluído em dezembro

Empresa de Sidrolândia é a mesma que ganhou licitação revitalização e abertura do Parque Cônsul Assaf Trad

Por Gabriela Couto | 17/01/2022 09:10
Fachada da obra inacabada Centro Municipal Belas Artes. (Foto: PMCG)
Fachada da obra inacabada Centro Municipal Belas Artes. (Foto: PMCG)

Parece que agora vai. Depois de ficar parada nove anos aguardando um destino para retomada da obra, o Centro Municipal de Belas Artes, no Bairro Cabreúva, em Campo Grande, voltará a receber máquinas. Conforme publicação do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) desta segunda-feira (17), a empresa Orkan Construtora Eireli, de Sidrolândia, foi contratada para fazer a reforma e adequação para uso do local.

A previsão é que a retomada da obra ocorra em fevereiro. Tudo deve ser concluído até dezembro deste ano. Conhecida como um dos elefantes brancos da Capital, o Centro Municipal Belas Artes começou ser erguido há 31 anos e, na época, o projeto seria destinado para o funcionamento do novo terminal rodoviário da cidade.

De lá para cá, a obra inacabada precisa de apenas 17% da construção para ser concluída. O número representa 2,6 mil metros quadrados, dos 15 mil que totaliza a estrutura.

Outro ponto importante com a assinatura deste contrato é que a prefeitura não precisará devolver ao Ministério do Turismo, aproximadamente R$ 10 milhões, em valores corrigidos, que corresponde ao recurso do convênio liberado e aplicado no projeto pelas gestões anteriores.

A empresa Orkan Construtora Eireli mostra ter experiência para revitalizar estruturas abandonadas. Ela trabalha no projeto de abertura do Parque Cônsul Assaf Trad, que foi inaugurado em 2008 e objeto de ação do MPE (Ministério Público Estadual) em 2014. O local está fechado há anos e recebe melhorias com investimento de R$ 1.108.800,01 para ser reaberto.

Readequação - O projeto, que foi readequado pelos arquitetos da Sisep, prevê intervenções no subsolo, onde, em princípio, poderá funcionar o Arquivo Histórico Municipal e o 1º andar, que poderá abrigar a Secretaria  Municipal de Cultura e Turismo. No subsolo, há espaço para o acervo do arquivo municipal e biblioteca. Ainda no 1º andar, estão previstas salas de dança, duas salas de multiuso (uma delas com 650 lugares) e um auditório com 124 lugares.

O projeto contempla ainda um pórtico de entrada, uma estrutura para separar a parte que será concluída do restante do prédio inacabado, pavimentação do pátio e base de apoio da Guarda Civil Metropolitana.

Junto com a conclusão desta primeira etapa do Belas Artes, a prefeitura vai trabalhar para viabilizar parceria público-privada que garanta a conclusão e o aproveitamento do restante da estrutura (12.400 metros quadrados).

Como parte do Reviva Mais Campo Grande,  num entorno próxima ao Belas Artes, a prefeitura vai construir 498 apartamentos destinados a famílias com renda de até 5 salários mínimos.

Nos siga no Google Notícias