A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017

01/09/2017 14:41

Área aparece esburacada e estudantes dizem que é para ninguém por carro

Prefeitura informou que está monitorando a situação e pode autuar responsável

Osvaldo Júnior e Mirian Machado
Diversos montes de terras no terreno, usado como estacionamento (Foto: André Bittar)Diversos montes de terras no terreno, usado como estacionamento (Foto: André Bittar)

Usada como estacionamento por estudantes da Uniderp, área pública em frente à universidade, em Campo Grande, foi danificada, como forma de impedir sua utilização, denunciam usuários do espaço. Buracos, remoção do solo, árvores cortadas, galhos e troncos empilhados no chão – assim foi deixado o local. A Prefeitura tomou conhecimento da situação, embora extraoficialmente, e afirmou que “continuará monitorando” o lugar.

Acadêmicos e guardadores de veículos da região afirmaram ao Campo Grande News que a intenção do autor foi impedir o uso do lugar como estacionamento. Um trator foi visto no último fim de semana no terreno. A prefeitura, conforme informou, não foi a responsável pelas intervenções no local.

A Semadur (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), via Guarda Civil Municipal, monitora o terreno. “Por ser pública, a área não pode ser usada por terceiros. Caso seja configurada a invasão da área, a Semadur tomará as medidas cabíveis. E quanto as possíveis remoções de árvores no local, o setor competente para essa fiscalização também já foi acionado”, informou a prefeitura.

O município solicitou, ainda, que a população auxilie no combate a esse tipo de prática. Neste caso específico, com denúncias, o responsável pode ser identificado. “Ele pode ser autuado por crime ambiental”, disse a prefeitura.

Denúncia desse tipo de prática pode ser feita à Decat ( Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista) pelo telefone (67) 3325-2567, à Guarda Civil Municipal, pelo 153, através do Disque Denúncia 156 ou na 34º Promotoria de Justiça do Meio Ambiente pelo 3317-4067.

Por anos – As desavenças quanto ao uso do terreno em frente à Uniderp se arrastam por anos. No local, há guardadores que cobram cerca de R$ 2 para cuidar dos veículos, valor muito abaixo do praticado em estacionamentos privados da região. Essa suposta concorrência acabou culminante na situação conflitante atual.

Galhos de árvores foram empilhados no chão (foto: André Bittar)Galhos de árvores foram empilhados no chão (foto: André Bittar)
Diversos buracos foram abertos no local (Foto: André Bittar)Diversos buracos foram abertos no local (Foto: André Bittar)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions