A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

08/08/2014 11:11

Bombeiros esperam instalação de 53 hidrantes novos no Centro até 2015

Leonardo Rocha
Comandante Metropolitano espera instalação de 53 hidrantes na área central da Capital (Foto: Marcelo Victor)Comandante Metropolitano espera instalação de 53 hidrantes na área central da Capital (Foto: Marcelo Victor)

O Comando Metropolitano de Bombeiros da Capital espera a instalação de 53 novos hidrantes na região central de Campo Grande até o início de 2015. Este acordo foi firmado com a empresa Águas Guariroba, que já colocou a disposição 30 unidades nesta região que é a mais crítica do município.

De acordo com o comandante metropolitano dos bombeiros da Capital, o coronel Jairo Shoitiro Kamimura, além dos 53 (hidrantes) urgentes na área central, também é preciso a instalação de 565 em toda cidade.

"Este número foi levantado após estudos de uma comissão composta pelo Corpo de Bombeiros, Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos), Planurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano) e outras secretárias, em reuniões bimestrais", explicou.

Segundo o comandante, esta preocupação maior com a região central se deve ao fto de existir muitos edifícios, escolas e repartições comerciais, o que eleva o índice de incêndios. "Existe uma estudo sobre o local desde o ano passado, mas estamos evoluindo neste sentido".

Ele ressaltou que outros locais também tiveram expansão, como na região norte da cidade e núcleo industrial. "Houve um aumento da cidade, por isso foi feito um mapeamento das principais necessidades de cada região, hoje são 136 unidades no município".

Kamimura ressaltou que o projeto que prevê a necessidade da instalação de 565 hidrantes em Campo Grande já foi entregue ao prefeito Gilmar Olarte (PP), para que este seja incluído no Plano Diretor do município a partir do ano que vem. "O objetivo é que sejam implantados ao longo dos anos, para diminuir este déficit".

Espera - O diretor da ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande), Adelaido Luiz Spinosa Vila, ressaltou que a instalações destes novos hidrantes é um pedido de três anos atrás, uma responsabilidade da empresa Águas Guariroba, já que além de faltar unidades, a tubulação hidráulica é antiga e precisa das adequações necessárias.

"Nos dois últimos incêndios no ano passado, os bombeiros tiveram que percorrer uma longa distância para abastecer os carros pipas, nos hidrantes mais próximos, este deslocamento chegava até uma hora, com abastecimento e deslocamento", afirmou ele.

O diretor ainda acrescentou que o comércio teve que se adequar a novas exigências, mas que o poder público precisa cumprir as dele. "Cada um fazer sua parte". Adelaido, por sua vez, fez questão de elogiar a preocupação dos bombeiros em relação a questão preventiva. "Temos que agradecer o grande apoio e estudo desenvolvido neste quesito".

Incêndios -Nos últimos anos três incêndios na região central de Campo Grande gerou críticas e questionamentos sobre a estrutura da Corpo de Bombeiros na Capital. Entre eles o episódio na loja Paulistão, que ocorreu no dia 6 de dezembro de 2012, quando foram necessários três horas e 200 mil litros de água para conter as chamas.

No dia 4 de maio de 2013, outro incêndio na loja de cosméticos "Perfil" teve que ter a atuação de 12 viaturas e cerca de 36 profissionais, com a utilização de 60 mil litros de água. Entretanto o de maior amplitude foi o da empresa "Planeta Real", que contou com o trabalho de 80 bombeiros, na utilização de 70 mil litros de água, quando foi questionado a falta de hidrantes próximo ao local, assim como falta de bomba para o aparelho funcionar.

Estrutura - O comandante metropolitano da Capital destacou que sempre está em contato com a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) sobre a necessidade de mais viaturas, apesar de ressaltar a aquisição de novas unidades na Capital.

"Foram enviadas 3 novas ABT (Auto Bomba Tanque) e nove unidades de resgate, para utilização em ocorrências de primeiros socorros". Ele ainda ponderou que neste momento o incêndio florestal é preocupante, já que só no mês de julho foram registrados 54 ocorrências, com previsão de aumento nos meses de agosto e setembro, em função do período de seca.

Atuação - O Corpo de Bombeiros do Estado possui 1,5 mil profissionais, distribuídos em 32 quartéis em 25 municípios, com suporte de 200 viaturas para atendimento anual de 100 mil ocorrências.

De acordo com o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Ociel Ortiz Elias, o atendimento da corporação cobre 32% do Estado e teve reforço de 132 novas viaturas, além de formação e promoção de oficiais e soldados.
Ainda tem o reforço com a convocação de 135 homens e 15 mulheres aprovados em concurso, que serão encaminhados para unidades do Corpo de Bombeiros em Campo Grande, Corumbá, Ponta Porã, Porto Murtinho, Sidrolândia e Amambai.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions