ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 38º

Capital

Brinquedo de criança foi motivo de briga entre vizinhos que acabou com um morto

Vítima levou dois tiros, um na cabeça e outro no ombro, quando foi defender esposa de discussão

Por Ana Oshiro e Ana Paula Chuva | 26/07/2021 10:15
Atilio foi atingido por dois tiros no quintal de casa, no loteamento Cristo Redentor (Foto: Ana Paula Chuva)
Atilio foi atingido por dois tiros no quintal de casa, no loteamento Cristo Redentor (Foto: Ana Paula Chuva)

Rita de Cássia Martinez Martins, de 38 anos, esposa do pedreiro Atilio Luis Colman, de 33 anos, morto na noite deste domingo (25), contou ao Campo Grande News, em entrevista por telefone, que um brinquedo de criança foi o motivo da briga que resultou na morte do marido.

Muito abalada e chorando bastante, a viúva explicou como a discussão começou. "Minha sobrinha e a filha da vizinha estavam brincando, uma pegou o brinquedo da outra e aí a mãe da criança não gostou, tava alcoolizada e veio pra cima de mim, eu dei só um empurrão. Ela foi pra casa e logo depois voltou com o marido armado", disse Rita.

Atilio morreu com dois tiros, um na cabeça e outro no ombro, quando foi defender a esposa do vizinho que é conhecido como "Ditão". Ele chegou a ser socorrido pelos familiares, foi levado para o posto de saúde do bairro Tiradentes mas não resistiu aos ferimentos.

"Ditão" e a esposa fugiram logo depois dos disparos, em um Chevrolet Prisma branco. A polícia fez buscas pela região, mas não encontraram o casal, nem o carro e nem a arma utilizada no assassinato.

A esposa de Atilio saiu de casa e se abrigou na casa de um irmão, pelo telefone disse que ainda não está bem para conversar e contou que a vizinha foi presa ontem à noite mesmo, mas a informação não foi confirmada pela polícia.

Um pedreiro, de 40 anos, funcionário da vítima, ficou sabendo da morte do patrão na manhã desta segunda-feira (26), enquanto esperava ele chegar para começarem os trabalhos do dia.

"Tava aqui esperando ele pra irmos pro serviço, vim aqui no bar pra esperar e aí a dona do bar que me contou. Fiquei chocado, né? Briga por besteira ainda", disse o homem, que preferiu não se identificar por medo.

O caso foi registrado como morte a esclarecer e será investigado pela 4ª Delegacia de Polícia, que fica na região da Moreninha II.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário