ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 15º

Capital

"Cadeia é longa, mas não é eterna", ameaça marido ao ser preso por agressão

Rita diz que nunca imaginou ser vítima depois de ajudar tantas outras mulheres a saírem do ciclo da violência

Por Mariana Rodrigues e Bruna Marques | 16/03/2021 11:27
Rita Helena Maia, 57 anos autônoma, foi ameaçada, xingada e levou tapas no rosto de seu marido. (Foto: Henrique Kawaminami)
Rita Helena Maia, 57 anos autônoma, foi ameaçada, xingada e levou tapas no rosto de seu marido. (Foto: Henrique Kawaminami)

Serralheiro de 45 anos foi preso em flagrante na manhã desta terça-feira (16), no Bairro Jardim Batistão, em Campo Grande, por agredir e ameaçar sua mulher. Em entrevista, ela fez questão de dizer o nome, Rita Helena Maia, 57 anos, trabalhadora autônoma. Diz não ter vergonha de ter entrado para a estatística da vítimas de violência doméstica, já que nunca imaginou passar por situação parecida.

O marido disse que mesmo que fosse preso, quando saísse iria “arrebentá-la”. Em depoimento, Rita contou que seu companheiro faz uso de pasta-base e álcool durante toda a noite.

Há algum tempo, ele se tornou agressivo. Sempre a xingava, até que chegou o dia do tapa em seu rosto e demais agressões. Rita disse que chegou a ir duas vezes na delegacia por agressões e ameaças anteriores mas não quis representar contra o autor e nem pediu medidas protetivas.

Ela admite que os dois chegaram a ficar três meses separados no ano passado e voltaram após diversas promessas de mudança. “Disse que me amava e que não iria mais beber e nem usar drogas, que mudaria. Eu acreditei e dei outra chance”, conta.

Rita relata que ontem, o agressor chegou por volta das meia-noite. Ela estava acordada, assistindo televisão. “Me xingou e começou a me ofender. Ontem, eu falei para ele que era a última vez que ele ia falar isso, foi quando ele me deu um tapa na cara, meu ouvido está zunindo. Nunca imaginei passar por isso, já salvei a vida de tantas mulheres [vítimas de violência]”, relata.

O que mais a assustou foi a ameaça: “Cadeia é longa, mas não eterna, quando eu sair e te ver com outro vou te arrebentar”, disse o agressor. “Não deixe acontecer a segunda vez, na primeira já faça [boletim de ocorrência], porque eles não mudam e só vai piorando cada vez mais, o destino é a morte”, alerta Rita.

“O sentimento é de dor, decepção e tristeza, sinto muito por mim e por ele, que tem tudo para ter um futuro bom, e está destruindo a própria vida. Os homens precisam ser educados e ensinados desde criança a respeitar as mulheres”, desabafa.

Delegada Fernanda Félix, titular da Deam, em entrevista (Foto: Henrique Kawaminami)
Delegada Fernanda Félix, titular da Deam, em entrevista (Foto: Henrique Kawaminami)

Conforme informações da delegada Fernanda Félix, titular da Deam (Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher), a vítima procurou a delegacia nesta manhã depois que sofreu vários tipos de violência pelo seu companheiro. Ela foi ameaçada, xingada e levou tapas no rosto. “Ela veio à delegacia para registrar o boletim de ocorrência e o nosso investigador foi até a casa do casal, encontrou o autor e ele foi preso em flagrante".

O casal estava junto há um ano e dois meses e não tem filhos. O o autor foi preso em flagrante por ameaça, injúria e vias de fato e encaminhado para Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher). A mulher pediu medida protetiva contra o autor e também optou por representar contra ele.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário