A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

22/11/2012 22:50

Campo Grande terá cuidado especial com dengue tipo 4 neste verão

Nyelder Rodrigues e Helton Verão
Comitê vai intensificar ações de prevenção neste verão (Foto: Rodrigo Pazinato)Comitê vai intensificar ações de prevenção neste verão (Foto: Rodrigo Pazinato)

O Comitê Externo de Combate à Dengue, ligado à Secretaria Municipal de Saúde Pública de Campo Grande, se reuniu nesta quinta-feira (22) para definir as ações que serão intensificadas no verão, estação de maior incidência do mosquito aedes aegypti.

Os membros do comitê se reúnem de dois em dois meses para debater e avaliar a situação, sendo esta a oitava reunião em 2012. O principal alerta é sobre a dengue tipo 4, mutação que teve o primeiro registro no Estado em janeiro deste ano e no Brasil há quatro anos.

Segundo o comitê, todos podem ter o vírus, já que como é novo, ainda não há imunidade criada, como nos casos toda dengue tipo 1, 2 e 3. Os sintomas são os mesmos dos outros tipos da doença.

Além disso, planos para casos de epidemia foram apresentados, como, por exemplo, o funcionamento integral de vários centros de saúde, além da elevação de leitos nos hospitais. Profissionais destes centros também estariam dispostos a fazer horas extras caso a situação seja grave.

Conforme o secretário de Saúde, Leandro Mazina, recentemente foi investido R$ 960 mil em renovação da frota de veículos e equipamentos. Atualmente, Campo Grande conta com 415 agentes contra endemia, 1.400 agentes comunitários, 60 supervisores e 15 equipes de borrifação de inseticidas.

Em 2013, também há previsão de concurso público para contratação de mais servidores da área de controle de endemias na Capital. Ao todo, 48 entidades participam do comitê, e cada uma faz uma ação para auxiliar ao combate. Desde escoteiros e exército, até supermercados e igrejas participam.

Números – Conforme Mazina, os números da dengue em Campo Grande são satisfatórios. Em 2012, foram cerca de 5 mil casos registrados, e dois óbitos, enquanto em 2011, os casos também ficaram na faixa de 5 mil, tendo ocorrido três mortes.

Os bairros com piores índices de incidência de dengue na Capital são o Nova Lima, Universitário, Monte Líbano, Vila Margarida e Tiradentes.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions