A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

17/07/2011 16:39

Depois de reprovação de 90%, candidatos veem mudanças como chance para reverter índice

Paula Maciulevicius

Com 20 questões a menos, bachareis querem diminuir índice de reprovação

Candidatos chegam com antecedência para exame da Ordem. (Foto: Simão Nogueira)Candidatos chegam com antecedência para exame da Ordem. (Foto: Simão Nogueira)

Candidatos ao exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) tiveram um impulso a mais para realizar a primeira etapa da prova deste ano. Com o escândalo de 90% de reprovação na prova do ano passado, os estudantes buscam, nesta tarde, reverter o elevado índice.

Só em Mato Grosso do Sul, são 2,4 mil inscritos que realizam a primeira fase do exame da OAB.

O candidato Rubilan Lima Oliveira, de 39 anos, está fazendo a prova pela segunda vez, dois anos depois de terminar o curso. “Acho que dá para virar com as mudanças nas regras da prova. Diminuíram as questões, o tempo era muito pouco para o objetivo”, considera.

Para ele, o conteúdo também é fator para a quantidade de reprovações. “Não condiz com a realidade do curso, é muito técnica”, acrescenta.

Em Mato Grosso do Sul teve três faculdades de Direito entre as 90 que não conseguiram aprovar nenhum aluno no último Exame da Ordem do Advogados. Com índice recorde de reprovação este ano, a OAB teve apenas 11,8% de aprovados em todo país.

Em cima disso, o candidato João Pedro de Oliveira, 28 anos, nem dá margem para outra resposta e explica “é o interesse dos estudantes mesmo, é a nossa parte. Só estudando mesmo e criar vergonha na cara”, diz sobre como mudar o cenário de aprovação no Estado.

Para Rubilan, mudanças na prova é chance para reverter índice de reprovação. (Foto: Simão Nogueira)Para Rubilan, mudanças na prova é chance para reverter índice de reprovação. (Foto: Simão Nogueira)

Já o candidato Samuel Gomes, 30 anos, que está na terceira tentativa deu a fórmula de quem acredita que dessa vez passa. “Diminuíram as questões e eu mudei meu método de estudo. Fico até tarde depois do expediente estudando”, conta.

Vexame - De 106.891 bacharéis em direito inscritos em todo Brasil, só 12.534 passaram pelo teste. O percentual de aprovação média nacional é o mesmo atingido pelos acadêmicos de Mato Grosso do Sul que representaram 14 faculdades no Exame.

Na lista de piores desempenhos estão a Faculdades Integradas de Paranaíba – Fipar, o Instituto Campo Grande de Ensino Superior – ICGES e Instituto Mato Grosso do Sul de Educação e Cultura – Ismec.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, pedirá ao ministro Fernando Haddad que o Ministério da Educação (MEC) supervisione as faculdades de direito em que nenhum bacharel tenha sido aprovado no exame da entidade. Na última edição, 81 das 610 faculdades de direito do país não tiveram qualquer egresso aprovado pela OAB.

Homem de 30 anos é esfaqueado e fica em estado grave
Bartolomeu Gomes de Araújo Barbosa, 30 anos, ficou gravemente ferido após ser atingido a golpes de faca no abdômen, na noite de ontem (12), na Rua Bo...
Após documento vazar, Sesau diz que hemogramas não foram suspensos
A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) afirmou que os hemogramas continuam sendo feitos na rede pública de saúde de Campo Grande. A informação inici...


Tem que melhorar a qualidade dos cursos de direito, que de fato são oferecidos em qualquer "Uni", de qualquer esquina. E não diminuir a quantidade de questões ou a dificuldade da prova. Isso é tampar o sol com a peneira.
 
Mariana Duenha em 18/07/2011 09:58:49
Em toda esquina existe uma faculdade, as famosas 'UniEsquina'. Esse é um dos problemas, o goveno exige das escolas que qualquer analfabeto termine o ensino médio E essas falcudades mequetrefes graduam qualquer apedeuta da silva. Isso chama-se 'socialização' da educação na cabeça iluminada dos socialistas.
 
wilian borges em 18/07/2011 07:57:29
O PROBLEMA MAIOR NAO É NEM A PROVA DA OAB, O DESEMPENHO DOS CANDIDATOS ESTÁ AQUÉM DO ESPERADO, HAJA VISTA O NÍVEL CURRICULAR DIDÁTICO DEIXA À DESEJAR. TEMOS QUE TER UMA ATUAÇÃO ENERGICA E ATUANTE DO MEC NAS NOSSAS FACULDADES DO ESTADO MS. ALIAS, ISSO JA PASSOU DA HORA. TENHO AMIGOS QUE ESTUDARAM NA PUC, HÁ 20 ANOS, REFIZERAM AS PROVAS DA OAB DAQUI E FORAM 75% DE ACERTOS. ALGO TEM QUE SER FEITO, SENAO, NOSSOS ESTUDANTES DE DIREITO SERAO TROCADOS PELOS DE OUTROS ESTADOS, COM MAIOR PREPARO TECNICO.
 
LUCIANO MARQUES em 17/07/2011 09:09:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions