A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

11/01/2011 12:40

Casas construídas em áreas invadidas são destruídas no Jardim Itamaracá

Aline Queiroz e Ricardo Campos Jr.
Apenas locais em construção foram demolidos. Moradores tem 24 horas para deixar o local. (Foto: João Garrigó)Apenas locais em construção foram demolidos. Moradores tem 24 horas para deixar o local. (Foto: João Garrigó)

Casas que estavam sendo construídas em áreas invadidas no Jardim Itamaracá, em Campo Grande, foram demolidas esta manhã. Famílias que ocupam imóveis no local tiveram prazo de 24 horas para retirar os móveis e deixar as residências.

Guardas municipais e policiais militares participaram da desocupação. Uma máquina tipo pá carregadeira derrubou as casas que estavam em construção.

A prefeitura de Campo Grande, por meio da assessoria de imprensa, destaca que apenas casas em construção foram demolidos.

As obras foram interrompidas porque os responsáveis não tinham autorização para construção de casas na área, que é pública. As edificações não tinham alvará de construção e responsável técnico, segundo a prefeitura.

O servente de pedreiro, Fábio Gomes Gihlen, 26 anos, mora com a mulher, a esposa, a sogra e dois filhos, de 2 e 4 anos, no local.

Ele veio do interior do Paraná e não tem para onde ir. “Fui erguendo de vagarzinho. Eles ‘levaram’ todo material, ferramentas, pá, dois andaimes e uma enxada". Segundo ele, os andaimes são emprestados. "Só deixaram o carrinho-de-mão que eu escondi em casa”, lamenta.

Ele classifica o trabalho como arrastão. “Tratam a gente como se fosse vagabundo. Eu não tenho para onde ir”, diz.

Rodolfo da Costa, 20 anos, mora no local com a esposa, que está grávida de cinco meses.

Ele estava há dois anos e meio na área e afirma que o operador da máquina deu tempo apenas para que as pessoas retirassem algumas roupas.

Em um terreno que compreende as Ruas Rômulo Cap e Iraci Corrêa Barbosa, quatro construções foram demolidas. A ação também foi feita na Rua Rio Tigre, onde a máquina colocou a baixo algumas construções.



BOA TARDE!?1

ESSA É UMA SITUAÇÃO FÁCIL DE RESOLVER;
POIS É SÓ OS POLÍTICOS,DEIXAREM DE ROUBAR O
DINHEIRO DOS IMPOSTOS QUE PAGAMOS, E
INVESTIR EM BENFEITORIAS NAS REGIÕES DE NOSSA
CIDADE E LARGAREM DE MANIPULAR AS LICITAÇÕES
E O POVO COBRAR MAIS DE QUEM COLOCAM NO PODER!?!
POIS SE ELES PODEM COBRAR DA GENTE ATÉ UM PUXADINHO
QUE FAZEMOS;PODEMOS NÓS TAMBÉM COBRAR AS OBRIGAÇÕES
QUE ELES NOS DEVEM!?
 
ADELSON NOBRES em 15/09/2012 04:09:53
Julgar é facil...mas e se o destino ñ abrisse as portas para quem hoje esta numa boa...nem sempre é por má vontade...as condições financeiras...as orientações e oportunidades no decorrer da vida são diferentes a cada ser humano...eu queria ver se a vida de quem apoia esse tipo de atitude tivesse percorrido por outros caminhos,se eles teriam esse mesmo pensamento...esse ato foi desumano...
 
Jacqueline Antonia Ibarra Balbuena em 20/03/2012 07:04:20
Falar que é pobre é facil e nao tem onde morar é mais facil ainda!o duro que parece que a pessoa nao pensa o infeliz ta em uma situaçao dificil e esta fazendo filhos....
 
marcos faria em 13/01/2011 12:17:41
Eu nasci e me criei em Campo Grande, tenho 56 anos de idade . Sou de origem de familia pobre, trabalhei, comprei uma casa e me casei, criei meus filhos e vivo ate hoje na casa que comprei com meu trabalho.
Não me lembro de ter visto tantas invasões de terras do estado ou da prefeitura em Campo Grande igual se ve de uns anos para cá.
Somos todos brasileiros mais esta existindo de uns anos para ca invasões demais e creio eu que não são campograndensses. Creio eu, que são pessoas de fora do estado ou do interior do estado.
Vejam os senhores: Não é justo que a prefeitura tenha que dar casa para todo invasor de terras do municipio. O dinheiro e as terras são dos moradores de Campo Grande que pagam seus impostos. Os senhores tenhem que se concientizar que o prefeito e vereadores, assim com os secretarios do municipio não podem fazer doações a ninguem, pois o dinheiro e terras não são deles. Não é justo que o campograndensse ou outros brasileiros que aqui chegaram de outros estados ou outras cidades e pagam seus encargos sociais corretamente, muitas das vezes com sacrificios, vejam as terras serem doadas de graça aos invasores. De graça não seria justo aos olhos de quem trabalhou e com o seu suor pagou por um terreno legal e com sacrificio construiu sua moradia.
Não sou a favor de ver ninguem morando embaixo de ponte, assim como não sou a favor de invasores aventureiros que acha que colocando um monte de filhos no mundo se acha no direito de invadir terrenos que não é dele. Pode se dar o nome de aventureiro mesmo, pois se os senhores fizerem um levantamento da origem destas pessoa a maioria são de fora de Campo Grande. Sairam de seu municipio ou estado numa aventura em busca do eldorado ( Campo Grande, fora daqui tem a fama de cidade rica), e venhem dar com os costados em Campo Grande e acham que a prefeitura tem a obrigação de dar casa, comida e muitas vezes ate de criar os filhos destas pessoa. Oras bolas!!! As coisas não funcionam assim, tem que existir ordem nas coisas, caso encontrario vai virar bagunça o que para os invasores e ótimo pois chama a atenção da midia e isso e tudo que eles querem para se fazerem de vitimas e coitadinhos.
Faça questã de dizer aos senhores não sou partidario da discriminação, pois como disse acima somos todos brasileiros, mas bagunça e querer levar de graça tambem não. O dinheiro publico e propriedades tenhem que ser respeitados.
Com os senhores a palavra...
 
Alfredo Carvalho em 12/01/2011 12:21:07
não sou contra a desapropriação dessas familias, desde que tenham um lugar para abrigá-las pelo menos até que elas adquiram um local digno de moradia.
Moro no Iracy Coelho, existe um local onde deveriam construir uma área de lazer e um centro comunitário.Pergunto as autoridades já viram o que virou lá um amontoado de casas construidas de forma ilegal, quem autorizou?, esta na hora de verificar essa situação.AUTORIDADES TOMEM PROVIDENCIAS, TÁ NA HORA ........
 
manira alves de queiroz em 12/01/2011 11:08:18

Bom Dia Cayro,
A reintegração de Posse não se dá de uma hora pra outra, ou seja, os "ocupantes" tem prazo pra contestar e se retirar sem força policial.
Ampliar o benefício desta Lei só vai incentivar as invasões em Áreas Públicas, Residencias e/ou Terrenos Particulares.
Esta Lei foi um absurdo/ uma aberração!!!
Está incentivando as invasões e vendas "ilegais" de terrenos e residencias. Venda Ilegal, pois em Artigo do Contrato firmado entre o Sorteado e a EMHA, está escrito que é expressamente proibida a venda e/ ou cedencia destes imoveis.
Sem contar-mos que tbém está prejudicando as pessoas inscritas e que está na "fila" do "sorteio", isto é, se é que existe SORTEIO mesmo.
E na contra-mão da Lei, a Prefeitura autoriza a Invasão em Terrenos Particulares e mas não em Áreas Públicas!!!
As Casas e Terrenos que serviriam para Moradia daquelas pessoas que não tem, viram Moedas Correntes nas mãos dos Candidatos aliados ao Prefeito na hora da Eleição.

 
Euler Rolon em 12/01/2011 10:46:39
Tudo que plantamos, colhemos. Quantas pessoas recebem casas e vendem e invadem área pública, não sei se o caso, mas eu não fui invadir área pública, e, concordar com invasão é conivencia com o erro.`É só deixar de ter muitos filhos, ter saúde e o resto é somente correr na frente.
 
Jorge Antônio Dias em 12/01/2011 08:06:41
Na minha opiniao tem que banir de vez toda e qualquer invasao,pois o que mais vemos são pessoas de fora do estado vindo pra ca invadir as propriedades alheias,como foi o caso daquele que veio do interior do Paraná,e, tirando do trabalhador Campograndense que consegue com dificuldade o seu terreno ou sua casa, pois deveriam sim ajudar 1ª o povo campograndensse que é quem desenvolve essa cidade com altos tributos pagos e depois pensar ajudar esses desocupados que vem de fora.
 
Ewerton Tabosa em 12/01/2011 02:24:29
Engraçado... Constroem as casas sem autorização da prefeitura, sem alvará, em terreno PÚBLICO e vem gente aqui achar ruim, reclamar... Colocam a prefeitura como vilã, mas se não fosse assim Campo Grande seria uma vila de puxadinhos ilegais e em áreas de risco, a exemplo de outras cidades como São Paulo. Eu construi minha casa com dificuldade, mas preferi manter toda a minha dignidade respeitando a LEI. Acho que a demolição das casas foi algo muito JUSTO.
 
Luana Patrícia em 12/01/2011 01:54:38
CONCORDO!

Se liberar este tipo de coisa, daqui a pouco estaremos com tantas FAVELAS como Rio de Janeiro, São Paulo e tantas outras cidades grandes. Se a prefeitura daquelas cidades tivessem tomado atitudes assim antes, não estaríamos vendo tanta GENTE MORRENDO por morar em locais impróprios.

E aí no futuro apareceriam OS MESMOS QUE CRITICAM HOJE essa atitude dizendo que a Prefeitura não fez nada para conter a favelização da cidade.

Não gosto nem um pouco do atual prefeito nem se seus secretários e acho que tem muita, mas muita coisa errada. No entanto, parabéns dessa vez, não seriam todos que teriam peito pra tomar decisões tão "anti-populares", porém, para o bem comum como esta.
 
Cláudio Luiz em 12/01/2011 01:53:28
Concordo com a atitude da prefeitura!!!
Se não fizer isso, daqui uns dias muita gente irá invadir áreas alheia. Tenho certeza q foi dado um prazo para se retirarem do local...Outra coisa, como tem condições de construir?! Já q querem invadir, muitas vezes por falta de lugar para abrigar a família e desespero, pq não fazem barracas? Assim, caso seja notificado para se retirarem do local, é só pegarem a barraca e se instalarem em outro local...
O q é certo é certo!
Tenho certeza q estas pessoas não ficarão sem lugar para dormir, têm muitas pessoas bondosas q tem condições de ajudá-las.
DEUS dará uma saída à essas famílias!!!!
 
Ewerton Patryck em 11/01/2011 08:45:48
Pessoal tenham bom senso o lote legal da emha é para ocupações de área de muitos anos, fui beneficiado esse ano aqui no santa emilia, moro a mais de 10 anos no local nao tem nada haver com isso que aconteceu... não é porque criaram o lote legal que toda invasão tem que ser regularizada, apesar de achar essa atitude da prefeitura absurda, desmedida e desnecessária, acredito que teria que ser ouvido as duas partes, masa prefeitura quase nunca se manifesta né? seria uma boa hora pro prefeito se explicar sobre esse ato.
 
demis castro da silva em 11/01/2011 08:42:18
Nao sei quem é o culpado nisso tudo só sei que recentemente entrei com uma ação contra o Município de Campo Grande por causa de uma área de comodato e a responsável por área públicas de Campo Grande é a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico, a Semadur, e não mais a EMHA como antes era. Acho tudo isso uma bárbarie... aliás a AGEHAB que da casa pra cupinchas podia arrumar casas pra esse povo ai...
 
Adilson Vital em 11/01/2011 07:58:49
Eu, nao acredito que o Sr Nelsinho: ordenou, esta falta respeito ao eleitor, que o colocou na Administraçao do Municipio, e pela segunda fez o Sr Andre, Governador. Nelsinho, trata de acolher este cidadao e outros, as proximas eleiçoes, estao ahi. E o PT vai voltar
com TANQUES....
 
Luciano Rosa em 11/01/2011 07:42:39
Penso deferente das opiniões acima. Campo Grande não deve ser considerada a tal casa da "mãe da joana", onde qualquer um que vê um terreno desocupado pensa que pode invadir e torna-se dono do imóvel. Quanto à questão politica e ideologia partidária eu não quero opinar. Quanto à atitude da prefeitura (prefeito) eu a avalio como correta.
 
Álvaro Gilberto em 11/01/2011 06:48:16
Campo Grande se tornou uma área de extrema especulação imobiliária. Pessoas estão vindo de fora para conseguir uma casa por aqui. Vendem e vão embora.
Não sejam inocentes. Direito todos têm sim, mas a situação é outra.

Existem casas e terrenos em outras áreas como Noroeste, São Conrado, ou seja periferia, agora essas famílias querem casas na frente do Novo Shopping Iguatemi/Alphaville, no Itamaracá? Eu também quero, pois esses terrenos valem mais de R$40.000.00.

Bobo nada né!?
 
Phillip em 11/01/2011 06:37:18
Este ato da Prefeitura demonstra o contracenso da mesma, haja vista que implantou na cidade o projeto LOTE LEGAL - VIVER BEM MORENA, que visa a regularização fundiária , projeto este que consiste no conjunto de medidas jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais voltadas à regularização de assentamentos urbanos e titulação de seus ocupantes, garantindo o direito social à moradia. Porem pelo que podemos observar não foi o que ocorreu.
É cristalino que todos que tiveram suas residencias derrubadas poderiam ter sido cadastrados neste projeto, para que assim ficassem em dia com todoas suas obrigações, tanto IPTU, taxas de construção e alvarás, eis que não há duvidas que poderiam vender o almoço e jantar para poder pagar o que lhes fossem cobrados para que o ato de demolição não ocorresse.
Senhor Prefeito e Diretor da EMHA, tada a cidade ficou muito feliz ao ver a noticia veiculada no site da prefeitura na Sexta-Feira 20 de Agosto do ano passado, em comemoração dos 111 anos de Campo Grande, (http://www.capital.ms.gov.br/cgnoticias/noticiaCompleta?id_not=8743).
Pergunta-se agora, o porque então desse ato agora? Será que não seria melhor ampliar este brilhante projeto para todas as aréas acupadas que não tenham destinação de praças e predios publicos ao invés de demolir a casa de quem ralou tanto para construir um misero cômodo?
Inumeros são os requerimentos junto a Central do Cidadão, Confiamos e acreditamos em Vossos trabalhos, e sabemos que tais atos não mais ocorreram.

 
CAIRO FRAZÃO em 11/01/2011 06:06:09
É uma vergonha para nosso municipio ,pois essas familias tem
o direito de moradia .
E depois falam em prefeito empreendedor ,empreemdedor sim
mas de terrorismo.
Quero ver o que ele vai fazer com a DENGUE , isso sim é
preocupante.
 
francisco de assis dos santos em 11/01/2011 05:05:13
so esperar para 2014,que sera igual cade o prefeito para falar para a imprensa ,so vejo o secretario
 
roberto dos santos braga em 11/01/2011 04:39:27
acho engraçado mesmo, quando eles dão as casas populares aos cumpichas pode, ai se voce compra voce pode ate perder a casa, mais cumpicha pode, e assim caminha nossa capital e estado... brincadeira
 
eder luiz em 11/01/2011 04:31:47
amigo Lima, que palavra magíca, realmente ísto é uma vergonha, só quem vive esta realidade é que sabe o quanto é dificio a realidade do trabalhador honesto, que não usa da politicagem, não consegue ter sua casinha, mesmo porque são entregue aos cabos eleitorais, e como vc disse a maioria as vendem.
 
cleuza pedrosa em 11/01/2011 03:55:14
Existe em Campo Grande uma Vergonhosa Empresa Municipal de Habitação, que trocou de nome recentemente, onde o cidadão honesto faz o ridículo papel de se cadastrar em um sistema que nunca o beneficiará, pois as residências são usadas como moeda de troca.
Agora eu quero ver alguem na câmara engajar uma campanha para o sorteio público dessas casas, com auditoria de uma empresa séria e fiscalizada pelo povo.
Cidadão Campograndense, acorde para a realidade, pois tomando o Slogam da Prefeitura como referência, o "Coração" fica em uma área central, mas niguem valoriza a periferia. Só nós poderemos mudar isso.
 
Jhonny D. Bob em 11/01/2011 03:49:23
olhe o tempo q esse povo estava lá, enquanto isso a empresa municipal de habitaçao distribuiu centenas de casas a cabos eleitoras q ja as venderam. falta seriedade e transparencia na distribuiçao de moradias, são moedas de troca em periodo eleitoral se fosse boris casoy diria: ISSO E UMA VERGONHA. Lima- subtenente PM...inativo. com a palavra as autoridades do setor.
 
josé lima martinss em 11/01/2011 02:14:06
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions