A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Janeiro de 2019

31/03/2017 15:45

Chamado de "Grande Ato", protesto na UFMS começa com 20 pessoas

Lucas Junot e Amanda Bogo
Com pouca adesão, cerca de 20 pessoas caminham aleatoriamente pela universidade (Foto: Marcos Ermínio)Com pouca adesão, cerca de 20 pessoas caminham aleatoriamente pela universidade (Foto: Marcos Ermínio)

Marcada para as 15h desta sexta-feira (31), na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) a concentração para o anunciado "Grande Ato" - protesto organizado por movimentos sociais, sindicais e coletivos contra as reformas da Previdência e trabalhista - começa tímido e disperso, com cerca de 20 pessoas.

Os manifestantes caminham aleatoriamente pelo corredor central da universidade. Uma barraca com materiais gráficos está armada no estacionamento do CCHS (Centro de Ciências Humanas e Sociais), mas o movimento ainda é bem fraco.

Mais cedo, também com pouca adesão, cerca de 80 manifestantes caminharam pela área central. O grupo interditou parcialmente a Rua 13 de Maio e seguiu para a frente do banco Itaú, na rua Barão do Rio Branco.

Os protestos tem a participação de representantes da Sintracom (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário), CUT (Central Única do Trabalhador), Força Sindical, Sindicatos do Bancários, UGT (União Geral dos Trabalhadores) e Nova Central.

Na programação ainda está um sarau às 17h, com apresentação do grupo Maracangalha, que fará uma sátira da conjuntura política e econômica do país. Os organizadores dizem que estas manifestações se tratam de uma "prévia" da greve geral, que vai ocorrer no dia 28 de abril.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions