A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

24/07/2014 08:11

Chuva supera média para todo o mês de julho e causa estragos

Aliny Mary Dias
No bairro Parati, erosão e lama no asfalto são os problemas (Foto: Marcos Ermínio)No bairro Parati, erosão e lama no asfalto são os problemas (Foto: Marcos Ermínio)
Trecho da Ernesto Geisel precisou ser interditado (Foto: Marcos Ermínio)Trecho da Ernesto Geisel precisou ser interditado (Foto: Marcos Ermínio)

A uma semana para o fim do mês de julho, Campo Grande já superou a média de chuvas registradas neste período. Com o temporal que cai desde ontem (23) na cidade, o acumulado do mês chegou aos 94 milímetros, índice 129% superior aos 41 milímetros registrados em média no período. Alguns estragos já começam a aparecer na cidade.

Segundo levantamento do Cemtec (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos do MS), das 23 horas de ontem até às 6 horas de hoje, choveu 58,6 milímetros em Campo Grande. O horário com maior volume de chuva foi por volta das 5 horas de hoje, quando em 60 minutos choveu 12,2 milímetros.

A previsão do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) é que a temperatura máxima não passe dos 17°C em Campo Grande e o céu vai permanecer encoberto durante todo o dia. As trovoadas e as rajadas fortes de vento devem companhar as chuvas.

Na Capital, o frio deve ser mais intenso mesmo amanhã (25), quando a mínima esperada é de 5°C a 7°C e a máxima não passa dos 12°C. A chuva vai continuar nesta sexta, mas será menos intensa na cidade.

Nível do Lago do Amor está no limite e se chover mais pode haver transbordamento (Foto: Marcos Ermínio)Nível do Lago do Amor está no limite e se chover mais pode haver transbordamento (Foto: Marcos Ermínio)

Estragos - Além de superar a média para o mês de julho, o temporal também causou estragos na Capital. Um trecho da Avenida Ernesto Geisel, de aproximadamente 40 metros, na faixa da esquerda, próximo do Shopping Norte Sul, está interditado.

Um desnível no asfalto, que já trazia perigo para o trecho nos dias sem chuva, ficou ainda mais acentuado com as pancadas fortes e uma rachadura se abriu no asfalto. Equipes da Agetran estão no local e afirmam que o trecho será novamente analisado e se necessário a Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habilitação) será acionada.

Na região do bairro Parati, entre as ruas George Chaia e da Divisão, uma erosão no barranco do Córrego Bandeira aumentou com as chuvas. No local, a tubulação de água já está exposta e a expectativa é que se as pancadas continuarem intensas, o que é previsto pela meteorologia para esta quinta-feira, a erosão pode aumentar e o asfalto.

Na Rua da Divisão, já no bairro Parati, os motoristas e principalmente motociclistas precisam de paciência. No trecho próximo da entrada do residencial Village Parati, muita lama e pedra está acumulada na pista e a enxurrada ainda é intensa no local. Uma rua não asfaltada, que fica na lateral da construção de um supermercado, agrava a situação no local.

No Lago do Amor, na Avenida Senador Filinto Muller, as chuvas também aumentaram o nível do lago e a água já atinge as cercas de proteção. A expectativa é que se o volume de pancadas continuar intenso, o lago pode transbordar.

O barranco do córrego Bandeira, na rotatória do bairro Parati, já apresenta erosão que expõe tubulação (Foto: Marcos Ermínio)O barranco do córrego Bandeira, na rotatória do bairro Parati, já apresenta erosão que expõe tubulação (Foto: Marcos Ermínio)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions