ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Com 519 casos, região do Anhanduizinho tem maior índice de escorpiões da Capital

Moradora chega a dormir de luz acesa com medo de que o animal esteja na coberta

Por Natália Olliver e Antonio Bispo | 08/12/2023 12:49
Julliete Oliveira encontrou escorpião no banheiro de casa (Foto: Arquivo pessoal)
Julliete Oliveira encontrou escorpião no banheiro de casa (Foto: Arquivo pessoal)

O aparecimento de escorpiões na Capital preocupa moradores da região do Anhanduizinho, localidade mais afetada pelo problema. Ao todo, foram 519 casos de incidentes com o animal registrados pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), de janeiro a novembro.

O número corresponde a 33% dos 1.457 casos contabilizados em todas as sete regiões da cidade. Em 2022, o índice ficou em 1.209, registrados de janeiro a dezembro. O aumento é de 20% quando comparado a 2023 e pode ser ainda maior, visto que os dados não abrangem o último mês do ano.

A região do Anhanduizinho tem 214 mil habitantes e é formada por 14 grandes bairros: Aero Rancho, Parati, Pioneiros, Alves Pereira, Centenário, Lageado, Los Angeles, Centro-Oeste, Guanandi, Piratininga, Jacy, América, Jockey Club e Taquarussu.

Felicia dos Santos Araújo, de 69 anos, mora na Rua Galeão, no bairro Aero Rancho, há 4 anos e já encontrou ao menos quatro escorpiões este ano. O transtorno tem causado episódios de ansiedade noturna, já que o bicho foi encontrado no quarto da cozinheira. Ela mora com o filho de 23 anos, que também já encontrou escorpião atrás do sanitário do banheiro.

Felicia dos Santos dorme de luz acessa com medo de ser picada por escorpiões (Foto: Henrique Kawaminami)
Felicia dos Santos dorme de luz acessa com medo de ser picada por escorpiões (Foto: Henrique Kawaminami)

“Estava deitada na cama quando senti alguma coisa andando no braço, assustei, achei que era barata e bati com a mão. Nessa hora acendi a luz do quarto e vi ele correndo pra trás da cama. Assustei, peguei o inseticida e um rolo de pão e começou a bater nele”.

À reportagem ela conta que por conta disso não consegue dormir direito com receio de que o animal esteja na coberta. Como medida de segurança, Felícia tem dormido de luz acesa, trocou os lençóis de cama por brancos e fecha todos os ralos da casa. Além de tentar manter a casa o mais limpa possível.

“Eu notei que começou a aparecer escorpião aqui depois que coloquei esgoto, parece que a morada dele é por dentro do cano e ele sai e surge dentro de casa.”

Confira a incidência do animal em 2023 nas sete regiões de Campo Grande:

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Ainda no bairro Aero Rancho, o cenário também preocupa a dona de casa Erotildes Lira da Silva, de 61 anos. Ela mora há 32 anos na Rua Regence. A neta já chegou a ser picada na perna pelo animal. Segundo ela, já apareceram mais de 30 escorpiões na casa.

“Nunca tinha aparecido, mas quando fiz conexão com rede de esgoto há dois anos, foi aí que começou a surgir, foram mais de 30 e todos eles saíam dos ralos. Minha nora estava deitada no sofá quando o escorpião picou a perna dela. Ele precisou ser hospitalizado mas nada grave.”

Para tentar evitar o aparecimento, ela joga água sanitária nos ralos todos os dias. “Inclusive várias vezes enquanto fazia isso o escorpião saiu. Mantenho eles fechados e não deixo cortina ou cobertor encostados no chão também”.

 A idosa mora com dois netos, um de 7 e outro de 3 anos, e teme que eles sejam picados. “Eu tenho medo, tenho muito medo. Já aviso minha família toda: cuida das crianças, bate o calçado, não busca o calçado sem bater, sacode a roupa onde está, não deixa jogado”.

Erotildes Lira diz ter achado mais de 30 escorpiões em casa (Foto: Henrique Kawaminami)
Erotildes Lira diz ter achado mais de 30 escorpiões em casa (Foto: Henrique Kawaminami)

Outros relatos - Em outro ponto da cidade, a região central, bairro São Francisco, Rua 14 de Julho, condôminos vivem com o aparecimento de escorpiões nos blocos há meses. Rafaela Theodoro, 36 anos, já encontrou dois nos corredores, em menos de duas semanas. Ela acredita que a dedetização do imóvel será uma das soluções para tentar resolver o problema.

“Este ano está bem atípico, tem quase dez anos que moro aqui, e foi a primeira vez que encontrei escorpião em casa. Aí comprei um ralo que fecha pro banheiro. Mas apliquei um veneno pro banheiro. E pelo visto vou ter que mandar dedetizar aqui pra garantir.”

Julliete Oliveira também mora no condomínio há 4 anos e chegou a encontrar três no banheiro do apartamento. “Sexta-feira tinha outro. Acredito que veio pelo ralo da pia que acabei esquecendo de vedar após o uso. Este foi o primeiro ano que vi e acredito que seja o calor e as chuvas”.

Escorpiões encontrados na casa de moradora, em Campo Grande (Foto: Direto das Ruas)
Escorpiões encontrados na casa de moradora, em Campo Grande (Foto: Direto das Ruas)

Cenário - Desde agosto, a SES (Secretaria de Estado de Saúde), por meio do Ciatox (Centro de Informação e Assistência Toxicológica), alerta sobre os riscos de acidentes com a espécie e atribuiu o incidente ao aumento de temperatura e período de reprodução dos escorpiões. Entre janeiro e outubro, Mato Grosso do Sul registrou 3.623 ataques de escorpiões, sendo 311 no último mês.

Prevenção - Especialistas orientam inspecionar roupas, calçados, roupas de cama, panos de chão e tapetes antes de usá-los; afastar camas e berços das paredes e evite pendurar roupas fora dos armários. Também é necessário não deixar que lençóis ou cobertores sobre as camas ou berços encostem no chão, nivelar as frestas das calçadas, pisos, paredes e portas e colocar uma barreira de proteção na parte inferior das portas.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias