A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

31/05/2011 18:01

Com arrecadação de R$ 2,8 milhões Flexpark não cumpre agenda social

Paula Maciulevicius

Empresa repassou a prefeitura R$ 800 mil e manteve lucro de R$ 2 milhões ano passado

A empresa mineira Flexpark, que controla o estacionamento urbano em Campo Grande, fechou o ano de 2010 com R$ 2,8 milhões nos cofres. Deste valor, foram reopassados R$ 797,2 mil à Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), totalizando um lucro para a empresa de R$ 2 milhões.

Foram solicitados esclarecimentos pela Câmara Municipal e segundo informações do gabinete do vereador Alex (PT), foram encontradas contradições, como o não cumprimento de uma das cláusulas previstas no processo licitatório, que é o de investir a receita do estacionamento em projetos e ações de cunho social e inclusivo.

Em resposta, a Flexpark disse que aplica os recursos “em conformidade com o artigo 320 do Código de Trânsito Brasileiro”. O dispositivo estabelece que a receita arrecadada com a cobrança das multas de trânsito será aplicada, exclusivamente, em sinalização, engenharia de tráfego, de campo, policiamento, fiscalização e educação de trânsito.

Ainda de acordo com o gabinete do vereador, o pronunciamento da empresa é genérico e evasivo, pois além de não detalhar o cumprimento do artigo do Código de Trânsito, revela que a empresa e nem a Prefeitura obedecem à cláusula estabelecida no processo de licitação, que é investir no social.

A Agetran apurou que em 2010 o total de repasse da Flexpark foi R$ 797,2 mil, o equivalente a R$ 66,4 mil mensais, R$100 mil a menos do que a renda mensal da empresa.

Ao salientar que as respostas ao requerimento não são convincentes, o parlamentar acrescentou que a empresa fatura só de instalar os parquímetros, montar escritório, contratar um número irrisório de funcionários e assim consegue funcionamento com um custo operacional bastante reduzido.

Segundo o vereador, a população está perdendo, porque além de pagar o estacionamento está sujeita a sofrer as multas do sistema. E, para completar, a Flexpark pega o dinheiro dos condutores mas não oferece nenhum serviço de segurança aos carros.

Ainda serão pedidos maiores esclarecimentos à empresa, informou o gabinete do parlamentar.



Além de pagarmos o flexpark somos obrigados a pagar os "flanelinhas"; que tal se a empresa investisse parte do lucro em segurança? Não é justo o cidadão pagar duas vezes para estacionar.
 
Herminio Martins em 01/06/2011 07:36:36
Parabéns pela reportagem, muito útil.
Parabéns ao vereador Alex pela observação e pelo esforço.
 
Adriano Ferrar em 01/06/2011 07:10:42
Eu prefiro colocar meu carro em estacionamento pago. Assim eu tenho quem responsabilizar se meu carro aparecer com algum arranhão. Na rua, não há proteção nenhuma e além de você jogar seu dinheiro no lixo com o FlexPark, ainda tem que pagar flanelinha. Como diz a Rita de Cassia, é apenas mais uma máquina de fazer dinheiro, e uma máquina muito lucrativa, diga-se de passagem.
 
Cleberson Costa Silva em 31/05/2011 08:24:44
Além de pagar flexpark ainda tem que pagar os flanelinhas se não você vai ser xingadinho ou multadinho. rsrrsrsrsrrs
 
Nilson André dos Santos em 31/05/2011 07:29:15
Concordo plenamente com a Rita de Cássia e ainda explano o fato de, quando vc mais pecisa do chaveirinho flexpark ele estraga, o fiscal não aparece, as pessoas que vendem a carga não podem resolver seu problema e te encaminhamo para o escritorio da flexpark. Nem sempre disponibilizamos de tempo para ir ao tal escritorio, sendo assim, é mais facil adquirir outro chaveiro e uma nova recarga. com isso a flexpark lucra em dobro com cada condutor. Ah fora os flanelinhas que ficam "cuidando" o carro... e ai de vc não dar pelo menos R$1, eles riscam seu carro, e CADE O FISCAL FLEXPARK NESSAS HORAS??
 
Gisele Martins em 31/05/2011 07:27:45
nao aguento pagar mais imposto, taxas e estacionamento...desisto vou voltar para o interior, vou pra rosa.
 
carlos lima em 31/05/2011 07:09:17
Vejam só como a questão do trânsito em Campo Grande não é levada a sério; A avenida Consul Assaf TRAD no sentido bairro - centro está com a pavimentação em estado lastimavel, cheio de burracos que coloca os transeuntes em risco, é isso já está assim deste 2003 já que a via foi recuperada no século passado quando da visita do Papa João Paulo II à Campo Grande. e agora o governo municipal alegando sei la o que está realizando a instalação de um radar na via. O que quer dizer o senhor prefeito sobre está ação? Estaria ele preocupado com a violência no trânsito? e os burracos não causam acidentes? Sei, então para recuperar a via o senhor prefeito necessitaria da ajuda do governo federal para liberar dezenas de milhões de reais, já a instalação de um radar poderia dar lucro? Para quem o lucro? Gostaria de ver as coisas serem tratadas de forma seria.
 
Carlos Medina em 31/05/2011 07:02:30
As lombadas eletrônicas, o flexpark, etc, etc, viraram máquina de produção de dinheiro e a cada dia mais terroroso anda o trânsito. O asfalto é uma calamidade com os buracos e remendos mal feitos, a sinalização inexiste (em muitos locais as faixas de rolamento estão apagadas há mais de 03 anos), mas os locais de vagas de estacionamento estão sempre sendo pintados.Não é a toa que estamos nesta contagem absurda de mortes no trânsito no mês de maio. Os investimentos são irrisórios!
 
RITA DE CASSIA em 31/05/2011 06:26:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions