ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 16º

Capital

Com estoque baixo, Saúde vai mudar critério para testagem de covid

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que houve redução no repasse por parte do Ministério da Saúde

Por Viviane Oliveira | 15/02/2024 12:18
Fachada do Centro Regional de Saúde do Bairro Tiradentes, uma unidades que está sem o teste (Foto: Alex Machado) 
Fachada do Centro Regional de Saúde do Bairro Tiradentes, uma unidades que está sem o teste (Foto: Alex Machado)

Com estoque baixo, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que vai mudar o critério para fornecer o teste da covid-19. Ontem, paciente de 26 anos percorreu três unidades de saúde e não conseguiu faz o exame.

Conforme a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), como houve redução no repasse por parte do Ministério da Saúde e alguns postos estão sem o teste, será recomendado aos profissionais que o exame seja feito após o paciente passar pelo médico. Atualmente, os testes são realizados dentro do processo de triagem.

Ainda conforme a Secretaria, o Ministério da Saúde já sinalizou que deve regularizar o fornecimento em abril e, paralelamente, a prefeitura já está em processo de compra em andamento. “Cabe ressaltar que o diagnóstico da Covid-19 é realizado de forma clínica-epidemiológica para confirmação do diagnóstico nos pacientes que estão sintomáticos, entre o terceiro e o décimo dia de sintomas”, informou a secretaria, por meio da assessoria de imprensa.

Ontem, a paciente Isadora Bandeira tentou fazer o teste em três unidades de saúde diferentes de Campo Grande, mas não conseguiu. Ela chegou à UBS (Unidade Básica de Saúde) Tiradentes por volta das 12h, com dor de cabeça, ouvido, garganta e dificuldade para respirar. A jovem foi atendida pelo médico cerca de uma hora depois e encaminhada para fazer o teste de covid na UFS (Unidade de Saúde da Família) ao lado.

Os atendentes disseram que não seria possível realizar o exame, pois estavam sem o teste desde a última sexta-feira (9). Isadora, então, se deslocou por quase 7 km, até a USF Pioneira, que também não teve condições de atender a demanda. A terceira alternativa estava a 2 km, na USF Botafogo, mas por lá recebeu outra resposta negativa.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias