ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 

Capital

Com nova variante nos Estados vizinhos, MS discute plano de ação

“Essa nova variante nos preocupa porque possui 10 vezes mais carga viral”, alerta Júlio Croda

Por Aline dos Santos | 28/02/2021 16:19
Reunião neste domingo discutiu variante do coronavírus, que já chegou a São Paulo e Paraná. (Foto: Rodson Lima)
Reunião neste domingo discutiu variante do coronavírus, que já chegou a São Paulo e Paraná. (Foto: Rodson Lima)

Com nova variante do coronavírus circulando nos vizinhos São Paulo e Paraná, reunião neste domingo (dia 28) discute plano de ação que vai criar medidas para conter a propagação em Mato Grosso do Sul.  A SES (Secretaria Estadual de Saúde) ainda não detectou por meio de sequenciamento genético a presença da variante em MS.

“Ela já nos causa preocupação, queremos estar preparados para quando ela chegar. Sabemos que ela chegou forte no País. Estados como São Paulo e Paraná, que são nossos vizinhos, já não contam mais com leitos. Esta nova variante está atingindo outras faixas etárias que não eram frequentes”, afirma o titular da SES, Geraldo Resende, ao portal de notícias do governo.

Na reunião, o infectologista Júlio Croda explicou que os outros Estados em que a variante está presente já enfrentam diversas dificuldades em seus sistemas de saúde. “Essa nova variante nos preocupa porque ela possui 10 vezes mais carga viral, o que significa que ela é mais contagiosa, ou seja, o nível de transmissão é de 50 a 60% maior. Quando ela chega e se instala, a subida no número de casos é muito rápida”.

Mato Grosso do Sul faz divisa com cinco Estados (São Paulo, Paraná, Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso) e duas fronteiras: Paraguai e Bolívia. Com esta geografia, o secretário reforça que o Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia) terá papel crucial daqui em diante.

“Será o nosso norte. Nós temos divisas com os estados, fronteiras com dois países, não existe nenhuma outra medida que não seja o distanciamento social, higienização das mãos e o uso de máscaras, mas se for preciso, poderemos adotar medidas que possam ser mais rigorosas”. Segundo Resende, que deve se reunir durante a semana com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Representante da Assomasul (Associação dos Municípios de MS) e prefeito de Terenos, Henrique Wancura Budke, disse que a entidade será parceira. “Há muitos municípios em vermelho, muitos tentam seguir o decreto, mas sabemos que isso é difícil. Infelizmente, muitas pessoas também não respeitam”.

Divulgado no dia 24, o Prosseguir mostra 31 municípios na bandeira vermelha, 38 na faixa laranja e dez na amarela. A reunião neste domingo foi com representantes da Assomasul, Polícia Rodoviária Federal, Defesa Civil e da Segurança Pública.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário