A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Abril de 2019

12/03/2019 21:07

Com síndrome rara aos 11 anos, Samuel só voltou a andar depois de dez meses

Pequeno está em tratamento da Síndrome de Guillain-Barré que afeta a fala, a visão e limite os movimentos dos músculos

Adriano Fernandes
Samuel Scariot durante os seus primeiros passos na esteira, depois de 10 meses numa cadeira de rodas. (Foto: APAE) Samuel Scariot durante os seus primeiros passos na esteira, depois de 10 meses numa cadeira de rodas. (Foto: APAE)

Após cerca de 10 meses sem andar, devido a uma rara doença autoimune o pequeno Samuel Scariot, de 11 anos, voltou a andar na manhã desta terça-feira (12/03), no Centro Especializado em Reabilitação da APAE de Campo Grande. Em junho do ano passado, a criança foi atendida pela Santa Casa de Campo Grande, em estado grave, com a visão e a fala comprometidas, além da perda de todos os movimentos voluntários do corpo.

Samuel sentiu uma forte dormência nas mãos e, no dia seguinte, ao acordar, já estava completamente paralisado na cama. O menino chegou a ficar 15 dias entubado e 21 dias no CTI (Centro de Terapia Intensiva) do hospital, onde, segundo a mãe do paciente, Elecir Scariot, a médica responsável comunicou que o caso, além de grave, era raro.

Samuel foi diagnosticado com Síndrome de Guillain-Barré, mas recebeu alta hospitalar após 41 dias de internação. Com 12 kg a menos, o menino deu início a recuperação na APAE de Campo Grande.

De acordo com a fisioterapeuta Sarita Baltuilhe, supervisora do setor de Fisioterapia Pediátrica do Centro, à época do início do tratamento o garoto tinha um sério quadro motor de tetraparesia (déficit de força muscular dos membros e tronco), força muscular grau 3 em membros superiores e força muscular grau 2 em membros inferiores, dor intensa ao mobilizar membros inferiores; e passou a utilizar cadeira de rodas para locomoção.

Nesta terça-feira (12), contudo o pequeno recobrou os movimentos e emocionou a toda a equipe de Reabilitação Multiprofissional da APAE, quando começou a dar os seus primeiros passos na esteira.

“A síndrome deixou o Samuel muito fragilizado, mas, com a reabilitação e medicação, os movimentos estão voltando, e o paciente está feliz e confiante em poder voltar a andar”, contou a fisioterapeuta Daniela Araújo, que acompanhou o paciente durante esse momento.

De acordo com Elecir, mãe do Samuel, o momento é de emoção e compensa tantos meses de sofrimento e luta. “Enfrentei e enfrento tudo isso com muita luta e batalha, cuido do Samuel sozinha. Deixei meu emprego, mas graças a Deus e aos profissionais da APAE, meu filho a cada dia tem uma evolução, ele é um milagre e estou muito feliz e ainda mais confiante, o Samuel voltará a realizar as atividades normais, eu acredito”, disse.

Tratamento - A APAE de Campo Grande é um dos 136 Centros Especializados em Reabilitação, que atendem pacientes pela rede pública de saúde com a doença. A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença neurológica autoimune em que o sistema nervoso é atacado pelo próprio sistema imunológico do organismo. Esse ataque provoca lesão na estrutura que recobre os nervos, o que provoca fraqueza muscular progressiva e paralisia. Se afetar os músculos respiratórios, o quadro pode ser fatal.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions