A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

30/06/2015 22:49

Comandos de polícias discutem parcerias e ações para agilizar atendimentos

Flávia Lima
Comandos de corporações discutiram ações para agilizar atendimento à população. (Foto:Divulgação)Comandos de corporações discutiram ações para agilizar atendimento à população. (Foto:Divulgação)

Em reunião realizada nesta terça-feira (30), comandantes das polícias civil, militar, Corpo de Bombeiros e Coordenadoria Geral de Perícias discutiram ações para intensificar e tornar mais ágil os atendimentos prestados pelas corporações.

A reunião aconteceu na sede da Acadepol (Academia de Polícia Civil), no Parque dos Poderes, em Campo Grande. Este foi o segundo encontro do ano e na pauta estiveram assuntos como a escolta de presos das delegacias para audiências e atendimentos nas unidade de saúde, encaminhamento das vítimas após atendimento na Casa da Mulher Brasileira e o relacionamento entre as equipes nos plantões na Polícia Civil e Polícia Militar.

Para o Delegado-Geral da Polícia Civil, Roberval Maurício Cardoso Rodrigues, a integração das polícias, proposta pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) já é realidade e vem agilizando os trabalhos devido a parceria entre os comandos, além das equipes das delegacias, pelotões e tropas.

Da mesma opinião compartilha o Comandante-Geral da Polícia Militar, coronel Deusdete Souza Oliveira Filho, que acredita que a integração vem promovendo uma desburocratização dos órgãos de segurança. "Segurança pública tem uma dinâmica diferenciada, se formos pelo caminho da formalidade as coisas não acontecem. Hoje temos na Polícia Civil equipes muito coesas no pensamento da integração, da mesma forma que a Polícia Militar e estamos trazendo isso para a prática", afirma o comandante.

Para a titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, na Casa da Mulher Brasileira, Rosely Molina, o principal avanço obtido na reunião foi a garantia de que a PM, além do serviço preventivo e ostensivo de rua, ficará incumbida de levar a vítima à delegacia e apresentar o auto de prisão em flagrante.

Caberá a Polícia Civil a lavratura do boletim de ocorrência, pedidos das medidas protetivas para as vítimas e trabalhar nos procedimentos de responsabilização penal dos acusados. Já o transporte ficaria a cargo da Guarda Municipal. As mudanças, segundo Rosely, serão apresentadas em reunião que acontece nesta quarta-feira (1), com o Grupo Gestor da Casa da Mulher Brasileira



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions