ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, DOMINGO  05    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Combate ao novo coronavírus altera celebrações tradicionais da Semana Santa

Missas se mantém online, apesar de decreto presidencial que permite o retorno das atividades presenciais de eventos religiosos

Por Lucia Morel | 26/03/2020 16:51
Apesar de não haver celebrações, igrejas permanecem abertas. (Foto: Danielle Errobidarte)
Apesar de não haver celebrações, igrejas permanecem abertas. (Foto: Danielle Errobidarte)


O risco de crescimento de casos do novo coronavírus em Campo Grande alterou uma das celebrações mais tradicionais da Igreja Católica: a Semana Santa, que acontece entre 5 e 12 de abril. A Arquidiocese de Campo Grande emitiu comunicado em que orienta as atividades para o período e mantém missas com transmissão online, sem procissões nem lava-pés.

A decisão foi tomada pelo Arcebispo de Campo Grande, Dom Dimas Lara Barbosa, apesar de decreto presidencial que permite o retorno das atividades presenciais de eventos religiosos, que passaram a ser considerados serviços essenciais.

Em comunicado endereçado tanto aos párocos quanto aos fieis das igrejas, o arcebispo afirma que “vamos manter as orientações já emanadas anteriormente”, que se refere às restrições de atividades presenciais durante o período de enfrentamento ao novo coronavírus.

Aos párocos, vigários e diáconos, como sustenta a publicação, orientação é de que cada Paróquia vai definir a forma de realizar a transmissão das celebrações litúrgicas da Semana Santa, que vai de 5 a 12 de abril. As celebrações transmitidas devem contar “com a presença somente daquelas pessoas necessárias para a realização do rito litúrgico e de sua transmissão”.

A Missa dos Santos Óleos foi adiada e só será agendada “depois de levarmos em conta as orientações das autoridades sanitárias”.

Para o Domingo de Ramos, a chamada “entrada do Senhor” será apenas no interior da igreja, “com entrada solene na Igreja Catedral e entrada simples nas Igrejas Paroquiais”.

Na Quinta-feira Santa, quando ocorre a Missa da Ceia do Senhor, não haverá o tradicional lava-pés e ao final da celebração, “omite-se a transladação do Santíssimo Sacramento para outra capela, conservando-o no sacrário”.

Já na na Sexta-feira Santa, na Oração Universal, a orientação é que seja acrescentado ao ato litúrgico uma intenção especial de oração ao período de pandemia.

De sábado para domingo, quando ocorre a Vigília Pascal, não haverá a benção do fogo, nem procissão e no Domingo da Ressurreição, a missa pode ser celebrada normalmente, mas caberá a cada pároco, “se julgar oportuno, percorrer as principais ruas da paróquia com o Santíssimo Sacramento, servindo-se de um ‘carro-andor’”.

Já os fieis, poderão acompanhar tais atividades “sem sair de casa” e “saudar o Cristo Ressuscitado com flores”.

Nos casos em que as comunidades não tenham condições de fazer transmissões online, a orientação da Arquidiocese é acessar a TV Imaculada ou pelo Facebook da Arquidiocese, a transmissão das celebrações de nossa Igreja Catedral.

Tais transmissões serão feitas nos seguintes horários: Domingo de Ramos: Santa Missa às 9h; Quinta-feira: Missa da Ceia do Senhor às 19h; Sexta-feira: Celebração da Paixão às 15h; Sábado Santo: Vigília Pascal às 19h; Domingo da Ressurreição: Santa Missa às 9h.