ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, DOMINGO  24    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Comércio não teme pandemia e ainda espera vender muito no Natal

Para ACICG expectativa é de recuperar prejuízo com vendas em dezembro, superando número do ano passado

Por Ana Oshiro | 25/11/2020 18:58
Comércio aguarda Natal para recuperar prejuízos em ano de pandemia (Foto: Arquivo/Henrique Kawaminami)
Comércio aguarda Natal para recuperar prejuízos em ano de pandemia (Foto: Arquivo/Henrique Kawaminami)

Mesmo com os altos números de casos da Covid-19, e toque de recolher em vigência na Capital, a expectativa de vendas no comércio segue alta para o Natal deste ano, de acordo com Roberto Oshiro, primeiro-secretário da ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande).

Para a ACICG o toque de recolher não deve influenciar nas vendas do comércio, já que as lojas devem funcionar até 22h a partir do dia 07 de dezembro, e o toque de recolher começa só à meia-noite.

"Nós conseguimos manter a economia funcionando e vamos conseguir manter neste fim de ano também. A necessidade do toque de recolher é por conta de festas e aglomerações, não é por causa do comércio", disse Roberto.

A expectativa de vendas para o Natal é alta e as vendas devem superar os números do ano passado e recuperar o prejuízo causado pela pandemia. "A gente espera ultrapassar os valores de 2019, mas se for a mesma coisa, já está bom, esse ano foi muito difícil", complementa Oshiro.

ACICG tem grandes expectativas para vendas no Natal (Foto: Ana Oshiro)
ACICG tem grandes expectativas para vendas no Natal (Foto: Ana Oshiro)

Durante entrevista, Roberto também comentou sobre a Black Friday, que será realizada oficialmente amanhã (26), mas que movimenta o comércio desde o início da semana. Para ele, a Black Friday é uma grande promoção, mas não é onde o comércio recupera o prejuízo. "É uma data de cultura no mercado econômico, momento de renovar os estoques. Recuperar o prejuízo é no Natal mesmo.", explica o entrevistado.

Para Roberto a grande expectativa de compras no Natal é exatamente por conta da pandemia, já que muitas pessoas não podem se encontrar, devem presentar com bens materiais, para demonstrar afeto aos familiares e amigos.

Segundo o representante da ACICG, a instituição tem participado do combate à pandemia desde o início, em março, se adaptando e ajudando os empresários a se adaptarem também nesse novo momento.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário