ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 32º

Capital

Concursadas vão ao Paço Municipal e cobram do prefeito adequação de lei

Pelo menos 10 mulheres estão no Paço Municipal e tentam falar com o prefeito

Por Mayara Bueno e Yarima Mecchi | 09/01/2017 08:05
Aprovadas em concurso tentam conversar com o prefeito Marquinhos Trad (PSD). (Foto: Yarima Mecchi)
Aprovadas em concurso tentam conversar com o prefeito Marquinhos Trad (PSD). (Foto: Yarima Mecchi)

Aprovadas em concurso público da Prefeitura de Campo Grande, em 2006, cobram, nesta segunda-feira (9), conversa com o prefeito Marquinhos Trad (PSD). O motivo é o cumprimento de uma portaria do governo federal a respeito da função que exercem nos Ceinfs (Centro de Educação Infantil).

Pelo menos 10 mulheres estão no Paço Municipal esta manhã. Elas relatam que, há 10 anos, foram aprovadas no concurso para recreadora infantil e assistente de berçário. No entanto, uma portaria federal, de 2011, estabelece que as profissionais sejam adequadas à função de professora.

A mudança, que já foi implantada em Naviraí, Dourados e São Gabriel, de acordo com a pedagoga Márcia Adriana, 38 anos, elevaria o salário atual de R$ 1,4 para pouco mais de “R$ 5 mil”.

Ainda conforme a professora, quem foi aprovado para o cargo não exerce função de auxiliar, mas sim de regente, responsável por todo o serviço de pedagogia. No entanto, não recebem como professor, não têm tempo para planejar aula e nem férias no meio do ano.

Nesta manhã, as profissionais recordam acordo assinado pelo prefeito, enquanto candidato ao cargo em 2016, se comprometendo a sentar com os concursados para conversar e fazer a readequação.

As mulheres aguardam a chegada do prefeito para ver a possibilidade de conversa. Caso contrário, devem se reunir com algum secretário municipal.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário